Política / Justiça

Juiz Amaury Kuklinski é promovido a desembargador do Tribunal de Justiça de MS

Na sessão desta quarta-feira (4), os componentes do Tribunal Pleno votaram e o juiz Amaury da Silva Kuklinski, titular da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, será o próximo desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. O magistrado irá ocupar a vaga deixada pelo Des. Josué […]

Arquivo Publicado em 04/06/2014, às 21h12

None

Na sessão desta quarta-feira (4), os componentes do Tribunal Pleno votaram e o juiz Amaury da Silva Kuklinski, titular da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, será o próximo desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. O magistrado irá ocupar a vaga deixada pelo Des. Josué de Oliveira, que se aposentou no dia 21 de maio.

O novo desembargador será empossado na próxima quarta-feira, dia 11 de junho, às 17 horas, no Palácio da Justiça Leão Neto do Carmo.

Questionado sobre o que se pode esperar do Des. Kuklinski, o magistrado explicou que o trabalho será realizado da mesma forma. “Continuarei com o a mesma linha de atuação independente, característica minha desde que ingressei na magistratura, sempre mantendo o bom tratamento a servidores e advogados”.

Para ele, atuar no Tribunal de Justiça não será um desafio, mesmo tendo judicado sozinho por 29 anos. “O trabalho em equipe era território desconhecido até atuar no TRE/MS, pois lá a turma julgadora era composta de seis integrantes. O que pode haver é um estranhamento inicial, porque em segundo grau a forma de processamento dos autos é diferente, tem sistema distinto, mas considero isso um detalhe técnico, uma aprendizagem inerente à nova função”, completou.

Perfil – Amaury da Silva Kuklinski é gaúcho de Barra do Ribeiro, formado pela Universidade Federal de RS em 1983. Em fevereiro de 1988 ingressou na magistratura sul-mato-grossense, como juiz substituto da 1ª circunscrição.

Em junho do mesmo ano, foi promovido a juiz de 1ª entrância e atuou em Bataguassu. Em abril de 1989, foi promovido para 2ª entrância e judicou na 2ª Vara de Maracaju.

Em maio de 1998 tornou-se juiz de entrância especial e assumiu a 5ª Vara Cível de Dourados. Em setembro do mesmo ano foi removido para a Vara de Falências e Concordatas da Capital, onde ficou até novembro de 2009, quando foi novamente removido para a Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande.

Jornal Midiamax