Política / Justiça

TJD denuncia Santos por moedas a Ganso; punição pode atingir 10 jogos

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) denunciou nesta quarta-feira o Santos pela “chuva de moedas” direcionadas ao meia Paulo Henrique Ganso no intervalo do clássico contra o São Paulo, na Vila Belmiro, no último dia 3. O julgamento acontecerá na próxima segunda-feira e pode render ao clube punição de até R$ 100 mil além da […]

Arquivo Publicado em 13/02/2013, às 20h28

None

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) denunciou nesta quarta-feira o Santos pela “chuva de moedas” direcionadas ao meia Paulo Henrique Ganso no intervalo do clássico contra o São Paulo, na Vila Belmiro, no último dia 3. O julgamento acontecerá na próxima segunda-feira e pode render ao clube punição de até R$ 100 mil além da perda de dez mandos de campo. O clube ainda precisará responder por quatro atrasos ocorridos no Campeonato Paulista.



As ocorrências em súmula contaram com registros do árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza e do assistente adicional, Marcelo Rogério. O clube foi enquadrado no artigos 211 e parágrafo único; além do 213 inciso 3 parágrafo primeiro do Código Brasileiro da Justiça Desportiva. Pelos atrasos, no artigo 206.



Os artigos referentes a punição pelos atos hostis na volta de Ganso à Vila após quase quatro meses da conturbada transferência para o São Paulo por R$ 23,9 milhões citam “deixar de manter o local que tenha indicado para realização do evento com infra-estrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para sua realização” e “deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir: lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo”.



“Informo que, no intervalo da partida, fui comunicado por fiscais da FPF, que torcedores do Santos F.C., posicionados em cima do vestiário do São Paulo F.C., arremessaram moedas contra o atleta do São Paulo, Sr. Paulo Henrique Chagas de Lima, cito não presenciei tais arremessos, mas observei diversas moedas no solo próximo a entrada do túnel do vestiário do São Paulo F.C”, relatou o árbitro.



A punição para o primeiro dos artigos é financeira, de R$ 100 a R$ 100 mil, enquanto para o segundo a perda de um a dez mandos de campo, caso apenado. Assim, o Santos precisaria mandar seu jogos longe da Vila, provavelmente no interior.



Além dessas possíveis punições, o clube ainda responderá pelos atrasos para entrar em campo que podem render multa de até R$ 18 mil.



O Santos volta a jogar neste domingo, às 18h30 (de Brasília), no duelo pela liderança do Estadual contra a Ponte Preta, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.


Jornal Midiamax