Política / Justiça

Sem reverter decisão da Justiça, fazendeiros recorrem a Mandetta para mostrarem força

Ás vésperas da realização do leilão para arrecadar verbas para combater as ocupações de terra por indígenas, os produtores rurais não conseguiram reverter à suspensão da iniciativa determinada pela Justiça Federal e convocaram a o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM) e outros membros da bancada nacional para mostrar a força do evento. Coletiva realizada […]

Arquivo Publicado em 06/12/2013, às 22h46

None

Ás vésperas da realização do leilão para arrecadar verbas para combater as ocupações de terra por indígenas, os produtores rurais não conseguiram reverter à suspensão da iniciativa determinada pela Justiça Federal e convocaram a o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM) e outros membros da bancada nacional para mostrar a força do evento.


Coletiva realizada na tarde desta sexta-feira (6), na sede da Acrissul (Associação de Criadores de Mato Grosso do Sul), reuniu também os deputados federais, Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Paulo Cesar Quartiero (DEM-RR) e os presidentes da Acrissul e da Famasul (Federação da Agricultura de Pecuária de Mato Grosso do Sul), Francisco Maia e Eduardo Riedel.


As entidades ainda aguardam a decisão da Justiça para incluírem ou não o leilão em evento realizado neste sábado (7), no Parque de Exposições Laucídio Coelho. Apesar da posição recuada dos presidentes das entidades, os produtores rurais presentes pressionavam para que a ação ocorresse independente da justiça.


Apesar de confirmar presença no evento de amanhã, Mandetta  acredita que a decisão não pode ser descumprida. “Eu acho que a lei tem que ser cumprida, por mais que não gostemos”, afirmou.


Caiado indignou-se diante da atitude da juíza da 2º Vara Federal de Campo Grande, Janete Lima Miguel, de suspender o leilão. “Nunca um leilão foi suspenso pela justiça até hoje”, afirmou.


O presidente da Famasul afirmou que as entidades entraram com pedido para recorrer da decisão, porém ainda não obtiveram repostas.  Apesar de estar às vésperas do evento, o presidente da Acrissul está otimista. “Com as informações fornecidas por nossos  advogados acredito que a juíza vá recuar na decisão”, afirmou.

Jornal Midiamax