Política / Justiça

Segundo colocado em Bela Vista aguarda comunicado da Justiça para tomar posse

O primeiro colocado nas eleições suplementares de julho em Bela Vista, Renato Souza Rosa (PSB) teve no final da tarde desta segunda-feira (07) o diploma cassado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS). A sentença, definida por três votos a dois entre os magistrados, ocorreu a partir de uma representação do Ministério Público sobre compra de votos, […]

Arquivo Publicado em 08/10/2013, às 00h19

None
1287914994.jpg

O primeiro colocado nas eleições suplementares de julho em Bela Vista, Renato Souza Rosa (PSB) teve no final da tarde desta segunda-feira (07) o diploma cassado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS). A sentença, definida por três votos a dois entre os magistrados, ocorreu a partir de uma representação do Ministério Público sobre compra de votos, e outra com a mesma acusação ingressada por Marcos Palmieri (DEM), segundo colocado no pleito.

“Neste caso como o Renato não atingiu mais de 50% dos votos, não haverá nova eleição. Isso abre a possibilidade de o meu cliente assumir a prefeitura. No entanto, a defesa do atual prefeito pode recorrer para a terceira instância e mudar o que foi decidido pelo TRE-MS. A nossa representação teve embasamento no artigo 41-A da Lei nº 9.504/97, que aborda captação ilícita de sufrágio”, explica o advogado de Palmieri, Luis Cláudio Pereira Bito.

A ação de investigação judicial eleitoral, proposta pelo candidato democrata a prefeitura, acusa Renato Souza Rosa (PSB) de uma suposta distribuição gratuita de combustível para carros que usavam o adesivo de sua candidatura.

A irregularidade, ocorrida poucos dias antes das eleições, tem uma gravação de vídeo que registrou a prática no Posto Oliveira I, localizado no município. No processo é citado também uma convocação de motoristas por meio de uma rádioparaguaia para comparecer ao abastecimento.

Jornal Midiamax