Política / Justiça

‘Justiça em MS continua confiável’, diz corregedora

Em visita ao Mato Grosso do Sul, a corregedora do Tribunal Regional Federal (TRF) da 3ª Região, Suzana Camargo, afirmou que as acusações contra o juiz federal Odilon de Oliveira são falsas e não afetam a imagem do judiciário no Estado. Segundo a corregedora, investigações foram feitas, e nenhuma irregularidade foi encontrada envolvendo o nome de […]

Arquivo Publicado em 12/05/2011, às 15h13

None
1611397423.jpg

Em visita ao Mato Grosso do Sul, a corregedora do Tribunal Regional Federal (TRF) da 3ª Região, Suzana Camargo, afirmou que as acusações contra o juiz federal Odilon de Oliveira são falsas e não afetam a imagem do judiciário no Estado.


Segundo a corregedora, investigações foram feitas, e nenhuma irregularidade foi encontrada envolvendo o nome de Odilon.  Suzana Camargo participou de uma coletiva de imprensa no auditório da Justiça Federal na manhã desta quinta-feira (12).


“Odilon é uma pessoa idônea, que dedicou a vida à magistratura e tem um trabalho responsável contra o crime, organizado e internacional”, afirmou Suzana Camargo.


Um grupo de quatro agentes do Presídio Federal, demitidos última sexta-feira, distribuiu uma carta aberta à população, em que atacam a decisão que tirou eles do serviço federal e insulta também o juiz Odilon de Oliveira.


Eles citam na nota que Odilon estaria implicado num esquema de corrupção. O magistrado teria recebido “a quantia de um milhão e meio – não esclarecendo se em reais ou em dólares – para não atrapalhar a extradição de Juan Carlos Abadia [traficante colombiano, já mandado para os EUA]”.


Segundo a corregedora Suzana Camargo, a questão da extradição nem seria de responsabilidade do juiz de MS. “Abadia estava em jurisdição de São Paulo, o Odilon não teria poder nenhum sobre isso. Essas denúncias só tem objetivo de minar o trabalho dos magistrados, é como ameaçar a família”, defendeu Camargo.

Jornal Midiamax