Política / Justiça

Família de menino assassinado em Três Lagoas pede justiça

A família de Danilo Coelho Junior, 13 anos, assassinado a tiros no dia 30 de janeiro do ano passado, se manifestou em Três Lagoas pedindo por justiça. Parentes e amigos participaram da manifestação com camisetas, faixas e cartazes pedindo que no julgamento o acusado de cometer o crime, José Carlos Vieira Moraes, de 18 anos, […]

Arquivo Publicado em 01/03/2011, às 16h13

None

A família de Danilo Coelho Junior, 13 anos, assassinado a tiros no dia 30 de janeiro do ano passado, se manifestou em Três Lagoas pedindo por justiça. Parentes e amigos participaram da manifestação com camisetas, faixas e cartazes pedindo que no julgamento o acusado de cometer o crime, José Carlos Vieira Moraes, de 18 anos, seja condenado com pena máxima.


O julgamento realizado nesta terça-feira (1º) no Fórum local. De acordo com o pai da vítima e servidor público, Danilo Coelho, 46 anos, toda a família espera que José Carlos seja condenado com pena máxima.


“Esperamos que ele fique afastado da sociedade o máximo de tempo possível, uma pessoa que cometeu um crime como este não pode ficar livre”, diz, ressaltando que o objetivo da manifestação foi de sensibilizar as pessoas. “Queremos mostrar que o que aconteceu com nossa família pode acontecer com qualquer um caso uma pessoa como está não permaneça presa”, afirma.


Coelho desabafa dizendo que desde a morte de seu filho os dias têm sido angustiantes. “Só quem perde um filho sabe a dor que estamos sentindo, desde sua morte estamos à espera deste julgamento. Tenho a certeza de que a justiça será feita”, comenta.


Entenda o caso


Danilo Coelho Junior foi assassinado no dia 30 de janeiro de 2010, vítima de seis disparos de arma de fogo efetuados por José Carlos Vieira Moraes, de 18 anos, ex-namorado da irmã da vítima.


Segundo o pai da vítima, o autor não aceitava o fim do relacionamento com sua filha, e no dia ele a encontrou com Danilo e mais um primo na Praça Ramez Tebet, aonde discutiram. “Meu filho disse para ele não procurar mais sua irmã” relata.


Após a discussão, Danilo, sua irmã e seu primo foram embora, quando estavam em frente ao Supermercado Proença, José Carlos que estava em uma bicicleta os alcançou e portando uma arma de fogo disparou contra Danilo. “Minha filha disse que após efetuar o primeiro disparo meu filho se ajoelhou, momento em que ele atirou mais cinco vezes”, conta.


José Carlos fugiu do local, entretanto foi preso dois dias depois na residência de uma tia dele, localizada no bairro Santa Terezinha.

Jornal Midiamax