Política / Justiça

Em Dourados, paciente só consegue atendimento com liminar da justiça

A dona-de-casa Silvana Raimundo da Silva recorreu à justiça que concedeu tutela antecipada determinando que o poder público municipal “preste imediatamente todo o necessário e adequado atendimento médico psiquiátrico” para o esposo jardineiro.

Arquivo Publicado em 25/10/2010, às 18h08

None

A dona-de-casa Silvana Raimundo da Silva recorreu à justiça que concedeu tutela antecipada determinando que o poder público municipal “preste imediatamente todo o necessário e adequado atendimento médico psiquiátrico” para o esposo jardineiro.

A família do jardineiro Paulo Ferreira Sobrinho de 35 anos de idade passou maus bocados na última semana para conseguir tratamento médico adequado.


Paulo estava trabalhando tranquilamente nos jardins de um órgão federal em Dourados quando teve um surto psicótico. Os colegas de trabalho encaminharam o jardineiro para o Hospital da Vida, mantido pela Prefeitura onde foi amarrado e sedado.


Passaram-se três dias e Paulo continuava internado no Hospital da Vida onde chegou a ter outro surto e acabou quebrando tudo o que encontrou pela frente.


Para conseguir tratamento adequado para o jardineiro, a dona-de-casa Silvana Raimundo da Silva recorreu à justiça que concedeu tutela antecipada determinando que o poder público municipal “preste imediatamente todo o necessário e adequado atendimento médico psiquiátrico” para o jardineiro.


A decisão assinada pelo juiz substituto Rodrigo Barbosa Sanches impôs uma multa de R$ 1 mil diários em caso de descumprimento da determinação judicial. Acontece que até as 14h30 desta segunda-feira Paulo Sobrinho ainda estava internado no Hospital da Vida.


Silvana da Silva disse que um enfermeiro lhe avisou que conseguiu uma vaga no Hospital Universitário. O marido de Silvana teve um surto semelhante há 18 anos e depois o fato se repetiu apenas agora.


Os familiares de Silvana reclamam que durante quase uma semana Paulo Sobrinho ficou internado no pronto socorro do Hospital da Vida e só conseguiu atendimento psiquiátrico depois da liminar concedida pela Justiça.


O secretário de Comunicação da Prefeitura de Dourados, Clóvis de Oliveira disse que a situação do paciente já foi resolvida, tendo o Hospital escalado uma médica especialista em psiquiatria para atender Paulo Sobrinho.


A mulher de Paulo disse que a medida da justiça ainda não foi cumprida e espera que a transferência seja feita ainda hoje. Enquanto isso não acontece o jardineiro continua sedado e internado no Pronto Socorro do Hospital da Vida sem que nenhum exame tenha sido feito para detectar as causas da “loucura” de Paulo Sobrinho.


Secretário de Saúde


Enquanto pacientes precisam recorrer a Justiça para conseguir atendimento médico especializado a prefeita interina Délia Razuk (PMDB) procura um nome para ocupar o cargo de secretário Municipal de Saúde que está vago com a saída da médica Denise Nemiroviski.


O jornalista Clóvis de Oliveira, secretário de Comunicação disse que Délia Razuk (PMDB) já rascunhou o perfil desejado para quem será escolhido para o cargo. O anúncio do nome do novo secretário será na tarde desta segunda-feira ou no mais tardar amanhã de manhã disse Clóvis ao explicar que a prefeita quer dar “um choque de gestão” no setor de saúde.


Clóvis afirmou que o novo secretário de Saúde terá que ser um bom administrador da coisa pública, saber fazer planejamento a curto, médio e longo prazo e, acima de tudo, ter pleno saber jurídico. Segundo o jornalista, Délia Razuk já disse que a Saúde de Dourados tem tudo para dar certo.

Jornal Midiamax