Política / Bastidores

[Bastidores] - 'Tiro no pé' ainda dói

Da Redação Publicado em 27/08/2021, às 06h00

None

Três anos depois?

Durante a passagem do presidente nacional do PDT por Campo Grande, Carlos Lupi, o deputado federal Dagoberto Nogueira pediu desculpas pelo partido ter lançado Odilon de Oliveira ao Governo de Mato Grosso do Sul, em 2018. "Tentei fortalecer um palanque e dei um tiro no pé”, disse. Na ocasião, o PDT lançou Ciro Gomes como candidato a presidente da República, que fazia oposição a Jair Bolsonaro.

Porém

No segundo turno, porém, o juiz aposentado acabou apoiando o presidente, então candidato, o que causou revolta no partido, na ocasião. Logo depois, Odilon de Oliveira deixou a sigla, assim como seu filho, na época vereador de Campo Grande, Odilon de Oliveira Junior.

Agora, tem de ser diferente

O parlamentar destacou que a legenda está trabalhando para ter uma "boa chapa de deputados estaduais", para não acontencer em 2022 o que ocorreu nos últimos anos, de candidatos serem eleitos pela sigla partidária e, posteriormente, adotarem posturas diferentes das preconizadas internamente, como “votar contra professor, admitir o governo”.

Investigação

O presidente do PDT nacional disse, ainda durante sua passagem pelo Estado, que a legenda pediu apuração em todas as unidades federativas sobre a manifestação organizada por grupos bolsonaristas prevista para 7 de setembro. Segundo ele, é preciso descobrir se as polícias militares estão planejando 'atos que tendem à golpes'.

Quem será?

Durante a assinatura do contrato para obra na Cidade do Natal, na quinta-feira (26), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) agradeceu a renovação da cedência da área, nos altos da Avenida Afonso Pena, por parte do Governo do Estado para o município, por mais quatro anos. Disse que vai zelar pelo local e comentou que espera que o próximo governador, que vai assumir a partir de 2023, faça o mesmo. 

Ops

O comentário rendeu reação, mesmo que discreta, de quem participava do evento. Foi perceptível, dizem, certo burburinho, tudo porque, o próprio prefeito é tido como candidato ao Governo de MS. Ou seja, quem poderia continuar a cuidar do lugar nos próximos anos.

Dia de festa

A comemoração dos 122 anos de Campo Grande foi de lançamento e assinatura de obras, o que rendeu presença de boa parte dos vereadores, além dos secretários municipais.

Jornal Midiamax