Política / Bastidores

[BASTIDORES] Sidrolândia em reta final

Da Redação Publicado em 07/06/2021, às 06h30

None

Sidrolândia em reta final

Na reta final da campanha eleitoral que vai eleger dia 13 novo comando da Prefeitura de Sidrolândia, a cidade vive a campanha nas ruas e também nas redes. No domingo passado (6), Enelvo Felini, candidato pelo PSDB, publicou imagens de bandeiraço, depoimento de apoiadores e até o jingle de campanha.

Só elas

Já Vanda Camilo (PP), a favorita para permanecer no cargo (ela está como prefeita interina após Daltro Fiuza ser impedido de assumir), publicou imagens de visitas a aldeias indígenas da cidade, com direito à caminhada e carreata, além de vídeo com depoimento de sua vice, Rosi Fiuza, esposa de Daltro.

Pesquisa

Os números preliminares colocam Vanda bem à frente. Pesquisa elaborada pelo Novo Ibrape indica vitória da interina com 71% dos votos válidos, contra 29% de Felini.

Ué?!

Chama atenção imagem postada no sábado, na qual Vanda aparece ao lado do titular da SES (Secretaria de Estado de Saúde), o tucano Geraldo Resende. Assim como ela, Resende posou fazendo o “11”, número de urna a candidata. Acontece que Resende é correligionário de Felini. Uma matemática para poucos entenderem.

Condenado

A Justiça Estadual condenou o empresário Rafael Tavares, do movimento conservador “EnDireita MS”, a indenizar o deputado federal Fábio Trad (PSD-MS) em R$ 10 mil, por danos morais.

Retratação

Tavares ainda terá que se retratar pelo Facebook, mesma rede social que utilizou para insinuar que o parlamentar usou dinheiro público para pagar por um outdoor no qual fazia autopromoção.

Multa e honorários

A publicidade foi veiculada no ano passado. Em caso de descumprimento da decisão, o empresário deverá pagar multa diária de R$ 500. Ele ainda foi condenado a arcar com as custas do processo e com os honorários dos advogados do deputado.

Mais processo

Rafael Tavares chegou a ser denunciado pelo MPMS (Ministério Público Estadual) no ano passado, acusado de convocar manifestações - e, consequentemente, aglomerações - em plena pandemia de covid-19. A inicial não foi aceita pela Justiça.

Reincidente

O empresário também é réu em ação penal por incitar violência contra gays, negros, japoneses e índios em publicação de 2018, na qual associava a eleição de Jair Bolsonaro (sem partido) com o início de uma “limpeza étnica”.
Jornal Midiamax