Política / Bastidores

[ BASTIDORES ] Recepção calorosa

Da Redação Publicado em 13/09/2021, às 07h00

None

Recepção calorosa

Embora a passagem por Campo Grande tenha sido breve, homenagens e brindes não faltaram para o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), que percorre o Brasil para tentar sair como a 3ª via nas prévias do PSDB à presidência.

Mimos

Além do título de ‘Visitante Ilustre’, concedido pela Câmara Municipal na quinta-feira (9) e cuja entrega simbólica ocorreu antes do discurso, o político gaúcho ganhou mais alguns mimos: um quadro e um pandeiro.

Ziriguidum

O quadro foi cuidadosamente embalado por um dos assessores do governador gaúcho, ainda na sede tucana. Já do pandeiro, Eduardo Leite tirou o primeiro som na frente da militância. E demonstrou, inclusive, intimidade com o instrumento.

Só no sapatinho

Mas antes mesmo de os discursos começarem, o governador surpreendeu a todos. Sambistas da Igrejinha o aguardavam, e o Carnaval fora de hora não desconcertou Eduardo Leite. Se samba no pé for critério de desempate nas prévias, ele pode se considerar o escolhido. Sambou feito gente grande.

Muito calor humano

E quem acompanhou a recepção e os discursos de boas-vindas ao governador ficou com a impressão de que o tucanato sul-mato-grossense tem um preferido para as prévias do partido. O histórico político e a experiência precoce do 'visitante ilustre' foram citados e ressaltados em quase todos os discursos.

Uns descem do muro

O secretário de Saúde, Geraldo Resende, não discursou. Mas nem foi preciso. Para o jornal Midiamax falou com todas as letras que Eduardo Leite receberá o voto dele nas prévias: "pode aglutinar o centro e tem condições de se apresentar como alternativa a essa polarização que prejudica o País".

Outros mantêm a tradição

Já o pré-candidato do PSDB ao governo do Estado, Eduardo Riedel, disse que o diretório regional não tem preferência por nenhum dos quatro postulantes: João Doria (SP), Eduardo Leite (RS), Tasso Jereissati (CE) e Arthur Virgílio Neto (AM). "Vamos ouvir todos e discutir a melhor proposta para as necessidades do Brasil". 

Jornal Midiamax