Política / Bastidores

[ BASTIDORES ] Pode copiar, só não faz igual

Da Redação Publicado em 19/05/2021, às 06h30

None

Pode copiar...

É comum que parlamentares de todo o País copiem projetos uns dos outros. Mas um deputado estadual de Mato Grosso do Sul não revisou uma proposta antes de apresentar.

... só não faz igual

Lídio Lopes (Patriota) assinou projeto que inclui líderes religiosos no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19. O detalhe é o que texto prevê que o benefício se estenda a "campanhas de vacinação contra doenças contagiosas realizadas no Município de Araucária", no Paraná

Paranazão

Os vereadores da cidade paranaense aprovam a mesma proposta em segunda votação no mês passado, cujo autor é Eduardo Castilho (PL), pastor evangélico.

Control C, Control V

Recentemente, a cópia foi entre duas casas legislativas do Estado. O deputado estadual Lucas de Lima (Solidariedade) apresentou projeto que torna as óticas serviço essencial na pandemia. A mesma matéria foi apresentada pelo vereador de Campo Grande Clodoilson Pires (Podemos).

Até as vírgulas

Os dois projetos são completamente idênticos, incluindo a justificativa, na qual o parlamentar aponta os motivos pelos quais a matéria deve ser aprovada. Não há previsão para as duas propostas serem votadas na Assembleia Legislativa e na Câmara Municipal da Capital.

Tios do Face

Alguns deputados estaduais abusam de mensagens motivacionais logo no início do dia. São versículos bíblicos, frases de outras pessoas e até discursos próprios.

#selfie

Ontem, terça-feira (17), Renato Câmara publicou uma selfie para desejar bom dia. "Que Deus proteja o trabalho de todos nós", escreveu.

Play

Antonio Vaz (Republicanos) publica diariamente vídeos no início do dia. Os materiais, com a hashtag #motivazcional (um trocadilho com o próprio sobrenome), trazem sempre uma reflexão religiosa, já que Vaz é pastor evangélico.

Na mira

Os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro voltaram a mirar suas críticas na senadora Simone Tebet (MDB-MS). O movimento aumentou ontem após a parlamentar "enquadrar" o ex-chanceler Ernesto Araújo na CPI da Pandemia.

Avisos

A publicação era sobre abuso sexual infantil, mas a maioria dos comentários foi para criticar Simone. "Continua dentro da bolha, senadora,as próximas eleições serão implacáveis", escreveu Roberto Alves. "Defendendo a China, deve estar na folha de pagamento deles?", disparou José Luiz Bezerra.

Jornal Midiamax