Política / Bastidores

[ BASTIDORES ] Cardápio para Bolsonaro

Da Redação Publicado em 01/07/2021, às 06h00

None

Em MS

Depois de inaugurar a estação radar da FAB (Força Aérea Brasileira) em Ponta Porã, ontem (30), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ganhou um churrasco patrocinado por produtores rurais da região.

Almoço presidencial

O almoço foi no restaurante Rodeio, localizado dentro do Parque de Exposições da cidade. O cardápio do regabofe tinha de costela bovina à linguiça caseira.

De fora

A imprensa não pôde entrar no restaurante, tampouco degustar o assado bancado pelos fazendeiros apoiadores do presidente.

Em casa

A secretária-adjunta de estado de Saúde, Crhistinne Maymone, está afastada de suas funções desde o início da semana. O motivo é que ela está de quarenta após um familiar testar positivo para o coronavírus.

Dando exemplo
Na live do Governo do Estado desta quarta-feira (30), o secretário Geraldo Resende destacou o ato. "Ela está tomando todas as precauções. E precisamos dar o exemplo", afirmou.

Substituto
Na ausência de Crhistinne, o assessor militar da pasta, coronel bombeiro Marcelo Fraiha, tem participado das lives que atualizam os dados da pandemia no Estado.

Magoado
Resende voltou a criticar prefeitos que se recusaram a seguir a avaliação extraordinária do Prosseguir no início do mês. "Estamos colhendo os frutos das restrições, apesar de alguns prefeitos que não entenderam o Prosseguir excepcional na sua inteireza. Agora, estamos vendo queda da taxa de contágio", comentou.

Rebatendo
Depois de virar alvo da base bolsonarista devido ao caso Covaxin, o ex-ministro da Saúde usou as redes sociais para se dissociar de Roberto Dias, o diretor de Logística demitido da pasta por supostamente ter pedido propina na compra da vacina indiana. Ao site Metrópoles, Mandetta já havia dito que o então diretor foi indicado por um membro do seu partido, o DEM.

Moro & Mandetta
O ex-ministro detalhou todo o protocolo que elaborou para evitar ou pelo menos facilitar a investigação de esquemas de corrupção no Ministério da Saúde, que teve a ajuda do então ministro da Justiça, Sergio Moro. "A primeira linha de defesa tem que ser do próprio órgão. Isso melhorou muitos processos internos, porque eram classificados de acordo com o risco de mau uso do dinheiro. Devia ser o básico na máquina pública. Eu fiz a minha parte", tuitou.

Comitiva
Além de ministros, o presidente Jair Bolsonaro trouxe uma aliada na Câmara a Ponta Porã: a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Ela posou para fotos com apoiadores, sem máscara.

Não fico atrás
Após Dourados autorizar jornalistas e demais profissionais de imprensa a entrar na fila de vacinação contra a Covid-19, a prefeitura de Campo Grande abriu cadastro prévio para a categoria. Entidades representativas reivindicam a medida há vários meses.

Pressão
Deputado estaduais também fizeram pressão, mas a SES (Secretaria de Estado de Saúde) rejeitou antecipar a imunização para esse público por recomendação do MPMS (Ministério Público do Estado) e do Ministério da Saúde.

Valeu
A CIB (Comissão Intergestores Bipartite), da SES, aprovou moções de agradecimentos aos governos de São Paulo e Rondônia. Os dois estados receberam pacientes de Mato Grosso do Sul quando o Estado estava com o sistema público colapsado.

Jornal Midiamax