Política / Bastidores

[ BASTIDORES ] Agora vereadora, ex-secretária justifica ‘travamento’ na pasta

Deputado brincou com temor de retaliação de adversário 

Ludyney Moura Publicado em 12/04/2017, às 08h00

None
sessao_alms_11-04-2017_40.jpg

Deputado brincou com temor de retaliação de adversário 

Justificativa

A vereadora Dharleng Campo (PP), ex-titular da Sedesc, usou a tribuna da Câmara para justificar o fato da pasta não ter encaminhado, em 2016, nenhum projeto do Prodes à Câmara.

Eleição

Segundo a vereadora, um parecer da Procuradoria-Geral do Município a orientou a não enviar projetos com benefícios a empresas desejosas de se instalar e/ou ampliar suas atividades na Capital, porque isso poderia resultar em ‘ganhos políticos’, já que ela disputaria (e disputou e venceu) as eleições do ano passado.

Projetos

Apesar da proibição, Dharleng contou aos colegas que havia 17 processos na Sedesc, com investimentos que chegavam a R$ 85 milhões e criação de mais de 2,8 mil empregos novos na Capital. Que acabaram não saindo do papel em 2016.

Elogios

Apesar da ausência de projetos a serem votados, os vereadores elogiaram o desempenho de Dharleng. Foram tantos apartes à fala da progressista que a Mesa Diretora precisou estender o tempo do discurso.

Aparte

Durante um dos apartes, um dos vereadores chegou a citar o clima beligerante entre a Câmara e o ex-prefeito Alcides Bernal (PP). “Era ele que não queria se relacionar, a Câmara sempre esteve aqui”, rebateu Carlão (PSB).

Feriadão

Embora a Semana Santa ainda não tenha começado para grande parte dos trabalhadores, a Câmara Municipal só volta a ter sessão ordinária na próxima terça-feira (18). Isso porque, devido ao ponto facultativo, o feriado começa na quinta-feira (13) para os nobres pares.

Motorista

O ex-prefeito e atual presidente regional do PTB, Nelsinho Trad, buscou o vereador Ademir Santana (PDT) na Câmara Municipal. O legislador o esperou na calçada da Casa de Leis, entrou no carro, mas cinco minutos depois foi deixado no mesmo lugar pelo ex-gestor.

Fresquinho

Se o ar condicionado dos três ônibus novos do transporte coletivo de Campo Grande vai funcionar corretamente, a população ainda não sabe, mas o ar foi suficiente para ‘descabelar’ o prefeito Marquinhos Trad. Depois de sair do veículo ele precisou arrumar as madeixas.

Odiosa

Ainda na entrega dos ônibus, Marquinhos foi questionado se três não é um número baixo para o total de veículos com ar-condicionado numa frota de 585 carros. À imprensa ele não adjetivou a pergunta, mas na hora do discurso a classificou como ‘agressiva e odiosa’.

Medo

Ao falar sobre a instalação de detector de metais na Assembleia Legislativa, depois de uma reclamação do sindicato dos policiais civis, o deputado Paulo Siufi (PMDB), deixou claro seu temor com Alcides Bernal.

Fuga

“Que perigo, pensa se Bernal entrar aqui ele me mata. Se ele sentar no plenário eu saio correndo”, brincou Siufi. 

Jornal Midiamax