O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) aprovou o pedido de requisição para forças federais de segurança para atuar nas cidades do Estado que fazem fronteira com o Paraguai durante as eleições gerais de 2022. 

O processo administrativo foi debatido na segunda-feira (22) no Pleno da corte e o resultado foi publicado na edição desta quarta-feira (24) do DJEMS (Diário da Justiça Eleitoral).

As Forças Armadas ou a FNSP (Força Nacional de Segurança Pública) deverão atuar nas cidades de Amambai, Paranhos, Bela Vista, Caracol, Ponta Porã, Antônio João, Coronel Sapucaia, Aral Moreira e Caarapó. Caberá ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) solicitar a convocação dos militares.

Reunião sobre segurança

Na segunda-feira, o TRE realizou uma reunião com representantes das forças estaduais de segurança para definir o plano de atuação no primeiro turno e no segundo turno, se houver. 

“Devemos assegurar a igualdade de condições entre os candidatos na disputa eleitoral e proteger a normalidade e a legitimidade do pleito, refletindo com exatidão a escolha livre do eleitor”, declarou o presidente do tribunal, desembargador Paschoal Carmello Leandro.

Para a segurança das eleições, o Ciops (Centro Integrado de Operações) da Polícia Militar de MS irá aumentar a capacidade operacional de recursos humanos e técnicos dos serviços de emergência — os números 190 e 193.