Em Campo Grande, o tempo de magistério para concorrer a diretor escolar pode diminuir. Isso se os vereadores da Câmara Municipal aprovarem o projeto de lei.

A proposta altera a redação da Lei nº 6.023/2018, que institui as regras da eleição de diretores e diretores adjuntos das unidades escolares municipais de Campo Grande. Assim, o projeto define que o tempo de magistério obrigatório passará a ser de quatro anos.

Até o momento, é necessário cinco anos de magistério para que o profissional concorra ao cargo de diretor. A proposta é de autoria do vereador Marcos Tabosa (PDT).

Então, ele justifica que o projeto atende aos ‘anseios da categoria dos profissionais’ da educação pública. Além de afirmar que a proposta gera “uma maior concorrência ao cargo desde que cumpridos os requisitos de formação e qualificação profissional”.

Por fim, o projeto de lei ainda será votado pelos vereadores em sessão ordinária na Câmara.