Projeto de lei proíbe concessionárias de água e luz de protestarem contas em atraso em MS

Barbosinha (DEM) apresentou projeto de lei que legisla sobre consumo
| 03/02/2022
- 15:40
Deputado Barbosinha (DEM) é autor do projeto de lei
Deputado Barbosinha (DEM) é autor do projeto de lei - Reprodução

Projeto de lei, de autoria do deputado (DEM), proíbe que as concessionárias de água e luz protestem contas em atraso em cartórios, em Mato Grosso do Sul. 

O deputado leu o projeto de lei durante sessão remota nesta quinta-feira (3). Ele afirmou que recebeu diversas reclamações e afirmou que a proposta não trata sobre energia, mas sobre consumo.

Segundo Barbosinha, as empresas concessionárias de água e luz estão proibidas de protestar em cartório, devido aos atrasos de energia e água dos consumidores. O texto determina que caso a lei (se aprovada) seja descumprida, será punida pelo Procon-MS.

Barbosinha afirmou que os protestos não têm autorização da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). “Muitos consumidores estão sendo protestados e estão sendo surpreendidos com a notificação do protesto. O valor dos encargos e das taxas cartoriais tornam os custos excessivos, já que podem superar o valor da e sobrecarrega o consumidor no momento de pandemia”.

O parlamentar exemplificou os custos: caso a conta de R$ 50 seja protestada, os custos do cartório saem por R$ 85.

Pedro Kemp (PT) afirmou que também recebeu diversas reclamações de consumidores que tiveram protestos em cartório. “É uma dupla penalização do consumidor, que tem o fornecimento de energia cortado e depois tem que arcar com os custos do cartório”.

Paulo Duarte (MDB) apresentou uma moção no MPF (Ministério Público Federal) contra a Energisa.

Veja também

Senadores de Mato Grosso do Sul votaram a favor da PEC (Proposta de Emenda à...

Últimas notícias