Prevenção ao uso indevido de drogas nas escolas é tema de projeto de lei na Câmara

O uso indevido de drogas acendeu o alerta dos parlamentares e o vereador Dr. Loester elaborou o projeto
| 13/04/2022
- 15:16
placas Câmara Municipal de Campo Grande
Projeto deve ser pautado e votado na Casa de Leis. Foto: Marcos Ermínio | Jornal Midiamax. - (Foto: Marcos Ermínio)

A prevenção ao uso indevido de drogas nas escolas de Campo Grande está na mira de prioridades de ações entre vereadores. Um projeto de lei, de autoria do vereador Loester Nunes de Oliveira, conhecido como Dr. Loester (MDB), institui, no âmbito do Município de Campo Grande, o programa de prevenção ao uso indevido de drogas nas escolas, vinculado à Secretaria Especial de e Defesa Social. A finalidade é promover, nas escolas e na sociedade em geral, ações voltadas à prevenção ao uso indevido de drogas, à promoção da cidadania e à disseminação da cultura da paz.

De acordo com o parlamentar, constituem atividades do programa de prevenção ao uso indevido de drogas nas escolas: promoção de capacitação para professores e demais educadores como multiplicadores de prevenção primária ao uso indevido de drogas; promoção de palestras de sensibilização para pais e demais responsáveis pelos alunos a respeito da prevenção ao uso indevido de drogas e promoção de palestras para crianças, adolescentes e jovens com o propósito de esclarecer as consequências da utilização das drogas lícitas e ilícitas.

Segundo o Dr. Loester será necessária a realização de parcerias para garantir a sustentabilidade, ampliação e aperfeiçoamento das atividades desenvolvidas, assim como capacitação de profissionais de instituições públicas e privadas e outros cidadãos como multiplicadores de prevenção primária ao uso indevido de drogas, em conjunto com a participação dos seus integrantes em cursos e outras atividades que possam contribuir para melhorar e manter sempre atualizado o conhecimento desses profissionais.

O projeto de lei se complementa com a realização de atividades artísticas, culturais e desportivas no âmbito escolar para prevenção de drogas e promoção de cultura de paz e garantia de direitos, com três objetivos: desenvolver um sistema de prevenção à violência e a promoção do esclarecimento sobre o uso indevido de drogas e sua disseminação entre crianças, adolescentes e jovens; ampliar a integração entre a Guarda Civil Metropolitana e a comunidade em geral; desenvolver, nos operadores de segurança e profissionais de educação, habilidades de prevenção a utilização de drogas lícitas e ilícitas.

Consumo de drogas lícitas e ilícitas aumenta entre jovens

Na justificativa do projeto, Dr. Loester levou em consideração que as drogas se tornaram um grave problema de pública, com sérias consequências pessoais e sociais no futuro dos jovens e de toda a coletividade. Levantamentos realizados pelo Cebrid (Centro Brasileiro de Informações sobre as Drogas Psicotrópicas da Universidade Federal de São Paulo) têm documentado o crescimento do consumo.

Esses levantamentos foram realizados entre estudantes de primeiro e segundo graus em dez capitais brasileiras e também em amostras de adolescentes internados e entre meninos de rua, mostrando que existe uma tendência ao aumento do consumo dos inalantes, da maconha, da cocaína e de crack em determinadas capitais, e problemas associados, como, por exemplo, os acidentes no trânsito e a violência.

O contato inicial com as substâncias ilícitas se dá no período de maior vulnerabilidade, compreendendo o período de transição da infância à adolescência. Além disso, entre os fatores que desencadeiam o uso de drogas pelos adolescentes, os mais importantes são as emoções e os sentimentos associados a intenso sofrimento psíquico, como depressão, culpa, ansiedade exagerada e baixa autoestima, sendo um fenômeno social de grande complexidade e difícil de ser abordado.

Veja também

Ataíde Feliciano da Silva perdeu mandato por acusação de compra de votos, ao fazer 2 doações de combustíveis a eleitores

Últimas notícias