Com duas de MS, Brasil pode ter maior número de candidatas à Presidência da história

Simone Tebet e Soraya Thronicke, de Mato Grosso do Sul, têm como adversárias Vera Lúcia e Sofia Manzano
| 06/08/2022
- 10:32
candidatas
Candidatas Simone Tebet, Soraya Thronicke, Vera Lúcia e Sofia Manzano. - (Montagem: Divulgação / Nathalia Alcântara, Midiamax / Marcello Casal Jr., Agência Brasil)

Com a confirmação da senadora Soraya Thronicke (União-MS), o deve ter o maior número de mulheres candidatas à Presidência da República na história. Outro fato histórico é que Mato Grosso do Sul também tem seu maior número de representantes na corrida pelo Palácio do Planalto.

A senadora Simone Tebet (MDB) também concorre ao cargo. Além das duas sul-mato-grossenses, há Vera Lúcia (PSTU) e Sofia Manzano (PCB). O recorde anterior foi em 2014.

Naquele ano, Dilma Rousseff (PT) foi reeleita em segundo turno, após enfrentar Marina Silva (na época no PSB) e Luciana Genro (PSOL) no primeiro turno. A situação de 2022 pode mudar até 15 de agosto, prazo final para os partidos registrarem as candidaturas. 

A eleição presidencial de 2022 terá outro recorde, duas chapas totalmente femininas. Simone terá a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) como vice e Vera Lúcia disputará com a indígena Raquel Tremembé, ou Kunã Yporã. Já Soraya terá o economista Marcos Cintra (União) como vice.

Antes de Simone e Soraya, apenas um sul-mato-grossense disputou a Presidência. Pouca gente sabe, mas Jânio Quadros nasceu em Campo Grande e foi eleito em 1960.

Cinco candidatas a vice-presidente

Além de Mara e Kunã Yporã, três mulheres são candidatas a vice-presidente. A vice-prefeita de Salvador, Ana Paula Matos (PDT), é a companheira de chapa de Ciro Gomes; Samara Martins fecha a chapa com Leonardo Péricles (UP) e Pérola Neggra concorre ao lado de Pablo Marçal (Pros).

Porém, o Pros vive um impasse, já que há disputa na Justiça pelo comando do partido entre uma ala que prefere candidatura própria e outra que quer apoiar o ex-presidente Luiz Inácio da Silva (PT).

Histórico de candidatas à Presidência

Somando as quatro de 2022, o Brasil já teve 11 candidatas a presidente. Em 1989, na primeira eleição desde a redemocratização, Lívia Maria Pio concorreu pelo extinto Partido Nacionalista, mas obteve apenas 0,26% dos votos.

Depois dela, outra mulher só voltou à corrida pela Presidência em 1998. Thereza Ruiz foi candidata do PTN (atual Podemos) e registrou 0,25% dos votos. Assim como 1994, 2002 teve apenas homens na disputa.

A situação mudou em 2006, quando o País teve a primeira chapa totalmente feminina. Ana Maria Rangel foi candidata pelo PRP (que se fundiu ao Patriota) tendo como vice Delma Gama.

Em 2010, os brasileiros elegeram uma mulher como presidente, a ex-ministra Dilma Rousseff (PT). Naquela eleição, Marina Silva concorreu pelo PV. Dilma foi reeleita em 2014.

Veja também

Mesmo com voto facultativo, há 87,4 mil eleitoras com mais de 100 anos

Últimas notícias