Advogado indígena, pós-doutor e coordenador jurídico da Apib (Articulação dos Povos Indígenas), o sul-mato-grossense Luiz Eloy Terena foi anunciado, nesta quinta-feira (17), como mais um dos integrantes do gabinete de transição do presidente eleito Lula (PT). O advogado é o quarto sul-mato-grossense a integrar o grupo.

Luiz é uma das lideranças indígenas de Mato Grosso do Sul e vem ganhando destaque internacional em sua atuação em defesa dos povos originários. Nascido na aldeia Ipegue, em Aquidauana, se formou em Direito em Campo Grande e também cursou mestrado, doutorado e pós-doutorado em Paris, na França.

O jurista também atua em ações movidas pela Apib em processos de demarcação de terras. Atualmente, Eloy coordena a Especialização em Direito para Povos Indígenas da PUC do Rio de Janeiro.

O anúncio do sul-mato-grossense na equipe de transição foi feito no início da noite desta quinta pelo vice-presidente eleito e coordenador da transição, Geraldo Alckmin (PSB). A nomeação do advogado deve acontecer nos próximos dias.

O nome de Luiz Eloy chegou a ser cogitado para ocupar o Ministério dos Povos Originários, uma das promessas de campanha de Lula. No entanto, atualmente Sônia Guajajara, deputada federal pelo PSOL-SP, é um dos nomes que ganha mais força para comandar o novo ministério.

Sul-mato-grossenses na transição

A primeira liderança de Mato Grosso do Sul confirmada no gabinete de transição presidencial foi a senadora Simone Tebet (MDB). Ex-candidata à Presidência, Simone trabalhou ao lado de Lula no segundo turno das eleições e participa da Frente de Desenvolvimento Social do gabinete de transição.

Aparecida Gonçalves, que atuou como Secretária Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, foi a segunda confirmada por Geraldo Alckmin para integrar a equipe. Aparecida Gonçalves é natural de Clementina (SP), mas afirmou ser sul-mato-grossense de coração por ter vivido no Estado entre 1988 e 2000, época em que se candidatou ao cargo de vereadora pelo PT (Partido dos Trabalhadores).

Ex-deputado federal pelo Estado, João Grandão também foi confirmado na equipe de transição nesta semana. Ele fará parte do Grupo Técnico de Desenvolvimento Agrário.

Advogado, professor e bancário, João cumpriu dois mandatos na Câmara dos Deputados por MS, de 1999 a 2003.