Política

PT de MS diz que pedirá expulsão de filiado de SP suspeito de abuso sexual após congresso

Partido diz que caso ainda não foi registrado na Polícia Civil em respeito à decisão da vítima

Aliny Mary Dias Publicado em 04/12/2021, às 16h21

Congresso foi realizado na sede do partido em Campo Grande
Congresso foi realizado na sede do partido em Campo Grande - Foto: Reprodução

Em nota divulgada na tarde deste sábado (4), o diretório regional do Partido dos Trabalhadores em Mato Grosso do Sul deu mais detalhes a respeito do caso envolvendo abuso sexual ocorrido após Congresso da Juventude do partido no Estado, na sede da legenda em Campo Grande, no último sábado (27).

Conforme a direção do partido, o crime até o momento não foi registrado na Polícia Civil em razão de escolha da vítima, uma filiada do PT de Campo Grande. De acorco com a legenda, um filiado do partido de São Paulo é o responsável pelo crime. A sigla sugere que a direção estadual daquele estado expulse o jovem do partido.

Ainda segundo o PT-MS, em nova reunião entre o coletivo feminino do partido e a vítima, realizada nesta sexta-feira (3), foi orientado mais uma vez que a vítima procurasse a Polícia Civil para registrar o crime. Até o momento, segundo apurou o Jornal Midiamax, o caso não chegou ao conhecimento da DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

Confira abaixo a nota da direção estadual do partido na íntegra:

Sobre a denúncia de abuso sexual ocorrido na sede do Diretório Regional do PT/MS, durante uma confraternização após a realização do Congresso da Juventude, viemos através desta nota esclarecer:

1- Tão logo tivemos ciência do fato, um coletivo de mulheres e da juventude passou a acompanhar o caso, tendo como foco a saúde mental e emocional da companheira envolvida;

2 - Entendendo o momento de fragilidade da companheira, o coletivo de mulheres e juventude do PT decidiu, mesmo tendo-a orientado sobre o registro de um boletim de ocorrência, respeitar a sua vontade, aguardando a decisão da companheira para fazer o comunicado às autoridades competentes;

3 - Tendo em vista a compreensão da gravidade do fato, o coletivo decidiu realizar na última sexta-feira (3) uma reunião onde foram dados os seguintes encaminhamentos:

a) deliberou que a companheira seria orientada mais uma vez a registrar o boletim de ocorrência na Casa da Mulher Brasileira;
b) tendo em vista que o envolvido não é filiado ao PT/MS, a Direção Estadual irá comunicar ao diretório de origem do mesmo para as devidas providências disciplinares, tendo como sugestão a sua expulsão;

4 - O respeito à mulher é valor inegociável ao PT, logo, qualquer abuso deve ser objeto de apuração policial e eventual responsabilização judicial;

5 - Por fim, reafirmamos que a companheira tem tido todo o apoio e a solidariedade do Partido para enfrentar esta situação.

Vladimir Ferreira
Presidente do PT/ MS
Marina Nunes
Secretária Estadual de Mulheres do PT/MS

O caso

Presidente estadual do PT em Mato Grosso do Sul, Vladimir Ferreira disse ao Jornal Midiamax que o congresso da Juventude petista era realizado no prédio da sede da legenda em Campo Grande, localizada no Centro.

Após o evento que reuniu filiados de todo o Estado, houve confraternização entre os jovens. Em certo momento da festa, segundo o presidente do PT-MS, um estudante que é filiado no PT de São Paulo abusou sexualmente de uma jovem que é filiada do partido na Capital. O crime teria ocorrido em uma das salas da sede do partido. Não há detalhes das circunstâncias do abuso e porque a Polícia Militar não foi acionada.

Seis dias após o caso, nesta sexta-feira (3), mulheres que integram o coletivo feminino do partido se reuniram e decidiram que o caso será encaminhado à Polícia Civil. Boletim de ocorrência deve ser registrado na Casa da Mulher Brasileira.

Questionado sobre o tempo entre o crime e a decisão de levar a situação até as autoridades, o presidente do partido afirmou que o caso foi tratado de perto pelas mulheres do coletivo feminino e que a prioridade nos primeiros dias após o crime foi dar apoio à vítima.

Em razão do autor do abuso ser filiado ao PT de São Paulo, o diretório estadual de Mato Grosso do Sul repassou os fatos à direção do estado vizinho, que irá apurar o caso e determinar se haverá afastamento ou expulsão do jovem.

Jornal Midiamax