Política

PSOL mantém linha adotada há 15 anos e articula candidatura própria ao governo do Estado em 2022

Candidata à prefeita de Campo Grande em 2020 e prefeito eleito no interior estão no páreo para encabeçar chapa

Jones Mário Publicado em 10/05/2021, às 18h53

Cris Duarte (à esq.) e Lucien Rezende (centro), lideranças do PSOL no Estado
Cris Duarte (à esq.) e Lucien Rezende (centro), lideranças do PSOL no Estado - Reprodução/Facebook

A direção estadual do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) se articula para lançar candidato próprio ao governo de Mato Grosso do Sul em 2022. O nome para encabeçar a chapa pode sair em julho, quando a legenda se reúne para congresso.

Presidente estadual do partido, Lucien Rezende indica que a candidata a prefeita de Campo Grande em 2020 Cris Duarte, bem como o prefeito de Ribas do Rio Pardo João Alfredo estão no páreo para pleitear o Executivo no ano que vem. Além da dupla, lideranças de Dourados, Paranaíba e Três Lagoas também são cogitadas.

O PSOL lança nome próprio para o governo de Mato Grosso do Sul desde 2006, à exemplo da estratégia adotada pela executiva nacional da legenda nas corridas pela presidência da República.

Em 2022, porém, existe uma sinalização de que a sigla possa abdicar da disputa pelo Palácio do Planalto em detrimento de uma aliança com o PT do ex-presidente Lula.

Conforme Lucien Rezende, a direção local do PSOL ainda não se organiza para reproduzir uma eventual conjunção de forças de esquerda em nível estadual.

Com uma prefeitura em Mato Grosso do Sul, o partido ainda busca vagas inéditas na Assembleia Legislativa e nas bancadas federais do Estado em Brasília (DF).

Jornal Midiamax