Política

Projeto de lei quer vedar uso de novas formas de flexão de gênero e palavras nas instituições de ensino

Segundo a justificativa, os militantes visam uma mudança radical na norma culta do português

Renata Volpe Publicado em 09/07/2021, às 12h39

Deputado Marcio Fernandes (MDB)
Deputado Marcio Fernandes (MDB) - Luciana Nassar, Alems, Arquivo

Projeto de lei apresentado na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), quer vedar expressamente a utilização de novas formas de flexão de gênero e de número das palavras da língua portuguesa, pelas instituições de ensino e bancas examinadoras de seleções e concursos públicos em Mato Grosso do Sul. 

Conforme o texto apresentado pelo deputado Marcio Fernandes (MDB), a chamada linguagem neutra é uma ideia defendida por alguns grupos que afirmam que a Língua Portuguesa é preconceituosa e machista.

Segundo a justificativa, os militantes visam uma mudança radical na norma culta do português. “Por exemplo, palavras como 'todos' ou 'todas' são substituídas por 'todes' ou 'todx'. Pronomes como 'dele' ou 'dela' são substituídos por 'dili' ou 'delx'. Ou seja, a prática visa usar palavras neutras, nem masculinas nem femininas”. 

Na língua de uma nação nada se acrescenta pelo uso da força ou do enviesamento político ideológico, de acordo com a justificativa. A língua e suas regras gramaticais amadureceram ao longo de séculos e continuam a evoluir, mas de modo lento e extensivamente refletido. 

O projeto de lei precisa passar pelo crivo da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação). Se aprovado, segue para plenário e avaliação dos deputados estaduais. 

Jornal Midiamax