Política

Após análise em conselho, projeto que prevê venda de áreas volta para Câmara em Campo Grande

As avaliações dos lotes variam entre R$ 30 mil e R$ 2,2 milhões

Mayara Bueno Publicado em 01/06/2021, às 11h54

Vereadores durante sessão virtual, adotada por causa da pandemia de coronavírus
Vereadores durante sessão virtual, adotada por causa da pandemia de coronavírus - (Foto: Reprodução/Facebook)

A Prefeitura de Campo Grande enviou de novo à Câmara Municipal projeto de lei para desafetar áreas públicas na cidade. O processo autoriza a venda ou permuta de terrenos públicos e já tinha sido encaminhado, mas precisou ser retirado para deliberação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano.

Segundo o texto, a proposição tem a 'necessidade de atender reinvidicação de uma parcela de contribuintes, propiciando regularização e incorporação das áreas ao patrimônio dos mesmos’. 

Os imóveis alvos da desafetação não são utilizados pela Prefeitura de Campo Grande, atual proprietária, e hoje não há ‘projetos para utilização dos mesmos pela administração municipal’.

“Desta forma, com a alienação dos imóveis poder-se-á investir em obras de infraestrutura, implementando o desenvolvimento do município, sem prejuízo às estruturas públicas já existentes”. Feitas pela Gerência de Fiscalização Imobiliária e Geoprocessamento, as avaliações variam entre R$ 30 mil e R$ 2,2 milhões, no caso dos lotes.

Jornal Midiamax