Política

Psol desiste da disputa pela prefeitura Dourados e lança três candidatos à Câmara

Depois de embates internos o Psol (Partido Socialismo e Liberdade) de Dourados não chegou a um consenso e optou por não lançar candidato à prefeito nas eleições marcadas para o dia 15 de novembro. A decisão foi tomada em convenção por videoconferência realizada no último sábado (12). Entretanto, mesmo sem chapa majoritária, a legenda irá […]

Marcos Morandi Publicado em 14/09/2020, às 10h07

Partido escolheu três nomes para concorrer à Câmara.(Foto: Reprodução)
Partido escolheu três nomes para concorrer à Câmara.(Foto: Reprodução) - Partido escolheu três nomes para concorrer à Câmara.(Foto: Reprodução)

Depois de embates internos o Psol (Partido Socialismo e Liberdade) de Dourados não chegou a um consenso e optou por não lançar candidato à prefeito nas eleições marcadas para o dia 15 de novembro. A decisão foi tomada em convenção por videoconferência realizada no último sábado (12).

Entretanto, mesmo sem chapa majoritária, a legenda irá não ficar totalmente fora da disputa eleitoral na cidade, uma vez que homologou as candidaturas da historiadora Vera Cardoso, representante do movimento afro, do professor Ênio Ribeiro e também do estudante Franklin Schmalz, militante do LGBT.

Antes da convenção, Sergio Areco e Ênio Ribeiro disputavam a indicação do Psol, que acabou não lançando ninguém. “As dificuldades financeiras para bancar uma candidatura são fatores que pesaram nessa decisão”, explicou o presidente do diretório municipal da legenda.

Ele explicou, ainda, que o partido entende que “hoje em Dourados é muito interessante ter representantes no parlamento para fazer as discussões mais profundas e de contestação das políticas neoliberais “, justificou Ênio, que concorreu à prefeitura de Dourados em 2016, mas que nas próximas eleições achou melhor disputar uma vaga na Câmara de Vereadores.

Jornal Midiamax