Política

Prefeito de Rio Negro veta aumento no próprio salário, mas reajuste de vereadores segue normal

Em vídeo gravado e publicado nas redes sociais, o prefeito de Rio Negro, Cleidimar da Silva Camargo (PSDB), disse que irá vetar o aumento salarial dele e do restante do executivo, aprovado pela Câmara da cidade no último dia primeiro. No vídeo, o prefeito diz que irá vetar o aumento em relação ao executivo, no […]

Diego Alves Publicado em 08/06/2020, às 22h04 - Atualizado em 09/06/2020, às 08h02

Prefeito de Rio Negro, Cleidimar da Silva Camargo (PSDB) em vídeo (Reprodução)
Prefeito de Rio Negro, Cleidimar da Silva Camargo (PSDB) em vídeo (Reprodução) - Prefeito de Rio Negro, Cleidimar da Silva Camargo (PSDB) em vídeo (Reprodução)

Em vídeo gravado e publicado nas redes sociais, o prefeito de Rio Negro, Cleidimar da Silva Camargo (PSDB), disse que irá vetar o aumento salarial dele e do restante do executivo, aprovado pela Câmara da cidade no último dia primeiro.

No vídeo, o prefeito diz que irá vetar o aumento em relação ao executivo, no caso o salário dele próprio, vice-prefeito e dos secretários. Porém, em relação a aprovação do reajuste dos vereadores, Cleidimar diz que cabe a eles, a aprovação ou não dos valores recebidos.

“Assim que tomei posse do projeto de lei que chegou até a minha pessoa, estou tomando a decisão de vetar toda a parte que é do executivo, nós não aumentaremos salário de prefeito, não aumentaremos salário de vice-prefeito e não aumentaremos salário dos secretários”.

A respeito do aumento do salário dos vereadores, Cleidimar alega que cabe aos legisladores a decisão de aumentar a remuneração deles próprios. “Respeitamos o entendimento, da Câmara de Vereadores, pois compete a eles fazerem este reajuste”, diz.

Com isso, a partir de primeiro de janeiro de 2021, o projeto de lei n.º 613 de 25 de maio de 2020 eleva os salários dos vereadores de R$ 2.350 para R$ 3.525, que representa aumento de 50%. No caso do presidente da Câmara, o valor passará a R$ 4.200 e do 1º secretário a R$ 3.800.

Já o salário do prefeito, com o projeto de lei n.º 614, passaria de R$ 12.800 a R$ 14.080. O vice com vencimentos de R$ 6 mil receberia R$ 7.040. Já os secretários municipais, que ganham R$ 4.480 passariam a ter o direito de receber R$ 5.632.

Jornal Midiamax