Política

Guardas serão treinados para atuar contra abusos de comerciantes, diz secretário

Os 12 integrantes da Guarda Civil Metropolitana cedidos para atuarem junto ao Procon de Campo Grande passarão por treinamento e irão auxiliar no combate a preços abusivos que venham a ser praticados no comércio, durante a pandemia do novo coronavírus COVID-19. A informação é do titular da Sedes (Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social), Valério […]

Danúbia Burema Publicado em 18/03/2020, às 17h35 - Atualizado às 17h40

Secretário Valério Azambuja detalhou como será ação dos guardas municipais cedidos ao Procon de Campo Grande.
(Fotos: Marcos Ermínio)
Secretário Valério Azambuja detalhou como será ação dos guardas municipais cedidos ao Procon de Campo Grande. (Fotos: Marcos Ermínio) - Secretário Valério Azambuja detalhou como será ação dos guardas municipais cedidos ao Procon de Campo Grande. (Fotos: Marcos Ermínio)

Os 12 integrantes da Guarda Civil Metropolitana cedidos para atuarem junto ao Procon de Campo Grande passarão por treinamento e irão auxiliar no combate a preços abusivos que venham a ser praticados no comércio, durante a pandemia do novo coronavírus COVID-19.

A informação é do titular da Sedes (Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social), Valério Azambuja. Conforme adiantado pelo Jornal Midiamax, o grupo iniciou nesta quarta-feira (18) a atuação junto ao Procon. Além de reforço nas equipes, eles irão atuar também como fiscais do órgão.

“Eles estarão incumbidos nos próximos 60 dias, podendo ser prorrogável por mais 60 dias, atuando após receber o treinamento específico de fiscalização”, adiantou o secretário. De acordo com ele, o trabalho irá abranger farmácias, bares, postos de combustíveis e o comércio em geral.

O intuito é reforçar as ações para coibir a cobrança de preços abusivos. “Toda aquela competência que é específica do Procon municipal, esses servidores estarão sendo capacitados e irão atuar principalmente nesse momento dessa crise aí de uma pandemia”, informou. Conforme Azambuja, alguns comerciantes estão ‘tirando proveito’ da situação de crise na saúde para elevar os preços de maneira irregular, o que será combatido pelo efetivo já existente agora reforçado com a ida dos guardas municipais.

Jornal Midiamax