Política

Eleições 2020: Entenda como é calculado o quociente eleitoral para vereador

Neste mês, os eleitores brasileiros elegerão prefeitos e vereadores e, no caso da eleição para vereador, é adotado o sistema eleitoral proporcional e as vagas das Câmaras Municipais de Mato Grosso do Sul serão distribuídas em proporção aos votos obtidos pelos partidos. As vagas serão preenchidas pelos candidatos mais votados da lista da legenda, até […]

Fábio Oruê Publicado em 03/11/2020, às 16h25 - Atualizado às 16h34

Câmara Municipal de Campo Grande. (Izaias Medeiros, Câmara Municipal, Arquivo)
Câmara Municipal de Campo Grande. (Izaias Medeiros, Câmara Municipal, Arquivo) - Câmara Municipal de Campo Grande. (Izaias Medeiros, Câmara Municipal, Arquivo)

Neste mês, os eleitores brasileiros elegerão prefeitos e vereadores e, no caso da eleição para vereador, é adotado o sistema eleitoral proporcional e as vagas das Câmaras Municipais de Mato Grosso do Sul serão distribuídas em proporção aos votos obtidos pelos partidos.

As vagas serão preenchidas pelos candidatos mais votados da lista da legenda, até o limite das vagas obtidas, ou seja, o voto que um eleitor dá para um candidato a vereador vai para o partido inteiro e, assim, a eleição dele depende do desempenho de todos os demais candidatos do partido.

Este preenchimento das vagas é feito segundo o cálculo do quociente eleitoral. Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o Código Eleitoral diz que determina-se o quociente eleitoral dividindo-se o número de votos válidos apurados pelo de lugares a preencher em cada circunscrição eleitoral, desprezada a fração se igual ou inferior a meio, equivalente a um, se superior.

Nas eleições proporcionais, contam-se como válidos apenas os votos dados a candidatos regularmente inscritos e às legendas partidárias. O quociente eleitoral é o resultado da divisão do número de votos válidos da cidade pela quantidade de vagas na Câmara Municipal.

Jornal Midiamax