Política

Simone defende que MDB reconheça derrota para negociar cargos na Mesa Diretora

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) fará na quarta-feira (6) reunião com os líderes das bancadas para definir os nomes que irão compor a Mesa Diretora da Casa para os próximos quatro anos. O líder do MDB, senador Eduardo Braga (AM), cobra que seja respeitada a proporcionalidade, já que o partido tem a maior […]

Daiany Albuquerque Publicado em 05/02/2019, às 17h04 - Atualizado em 06/02/2019, às 09h11

None

Simone defende que MDB reconheça derrota para negociar cargos na Mesa DiretoraO presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) fará na quarta-feira (6) reunião com os líderes das bancadas para definir os nomes que irão compor a Mesa Diretora da Casa para os próximos quatro anos. O líder do MDB, senador Eduardo Braga (AM), cobra que seja respeitada a proporcionalidade, já que o partido tem a maior bancada. Já Simone Tebet defende que a legenda reconheça que perdeu a preferência na casa para conseguir negociar.

Para Braga, de acordo com o critério de proporcionalidade, o MDB tem o direito a escolher nome para ocupar o primeiro cargo na disputa, que seria o primeiro vice-presidente. “Esse é um critério que a casa estabeleceu a muito tempo. Obviamente a primeira pedida da mesa é do MDB, houve uma disputa que nós não vencemos, agora nós continuamos tendo a primeira pedida depois da presidência”.

A afirmação foi rebatida por Simone, que prega maior humildade do partido que, apesar da maioria no parlamento, perdeu a eleição para a presidência, quando apostou no senador Renan Calheiros (AL), que teve grande rejeição.

“A proporcionalidade ela foi quebrada, agora nós vamos ter que discutir como é que se dará essa nova proporcionalidade. O MDB perdeu, tem que reconhecer que perdeu, e agora, para conquistar novos espaços, também vai ter que fazer indicações mais próximas da mesa diretora”, afirmou a sul-mato-grossense em entrevista à Rádio Senado.

A declaração da parlamentar corrobora com a do presidente do Senado, que lembrou a derrota que o partido sofreu, mesmo tendo a maioria. “A tradição era eleger um líder do MDB, que é a maior bancada, mas se elegeu um do DEM”, disse Alcolumbre.

Na reunião de quarta-feira, os líderes dos partidos escolherão dois vice-presidentes, quatro secretários e dois suplentes.

“Guerra”

O embate entre Simone Tebet e Renan Calheiros dentro do MDB está longe de terminar. Na tarde desta terça-feira (4) um reunião com a bancada do partido definirá o nome indicado para a presidência da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), a comissão mais importante do Senado, e a disputa devem ficar novamente entre os dois.

Mais cedo, em entrevista ao Jornal Midiamax, Simone afirmou que iria para o embate contra o senador alagoano e que já teria o apoio do PSDB para presidir a comissão. Ainda não há informação sobre o resultado da conversa.

Jornal Midiamax