Política

João Maria Lós assume TRE-MS e espera julgar 75% dos processos eleitorais em 2019

O desembargador João Maria Lós foi eleito, nesta quinta-feira (31), como novo presidente do TER-MS (Tribunal Regional Eleitoral). Com mandato até 2021, Lós quer concluir o ano de 2019 com 75% dos processos eleitorais do ano passado julgados. A escolha de Lós se deu, como de costume, por aclamação, ou seja, todos desembargadores concordaram em […]

Aliny Mary Dias Publicado em 31/01/2019, às 18h19 - Atualizado em 01/02/2019, às 13h34

None
João Maria Lós assume TRE-MS e espera julgar 75% dos processos eleitorais em 2019
Foto: Minamar Junior

O desembargador João Maria Lós foi eleito, nesta quinta-feira (31), como novo presidente do TER-MS (Tribunal Regional Eleitoral). Com mandato até 2021, Lós quer concluir o ano de 2019 com 75% dos processos eleitorais do ano passado julgados.

A escolha de Lós se deu, como de costume, por aclamação, ou seja, todos desembargadores concordaram em nomeá-lo como presidente. O desembargador era o atual presidente em exercício do órgão, em substituição a Tânia Borges, afastada das funções em outubro passado.

Na vice-presidência do TRE ficou o desembargador Divoncir Maran, que acumula a função de corregedor-geral do órgão.

Ao ser empossado como presidente do tribunal, João Maria Lós ressaltou que a prioridade deste ano é o julgamento dos processos de “ilícitos eleitorais que estiverem tramitando no Tribunal, vamos julgar até o final deste ano 75% dos processos pendentes das eleições 2018”.

Ainda de acordo com o magistrado, também estão entre os objetivos de atuação da sua gestão fortalecimento da urna eletrônica como meio de escolha de políticos para as eleições e abrangência ainda maior da biometria no Estado.

“Gerou desconfiança nas eleições passadas, mas isso é problema das fake news e no final você vê que não há nenhum problema ou contestação do resultado das eleições”.

Sobre a biometria, até 2022 é esperado que 90% da população de Mato Grosso do Sul esteja cadastrada na biometria. Esse número deve representar 1,6 milhão de eleitores. A partir de março 25 cidades iniciarão o processo de recadastramento eletrônico.

Jornal Midiamax