Governo afirma que houve movimentação incomum de recursos no fim da gestão Temer

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, anunciou nesta quinta-feira (3) após a primeira reunião ministerial que “houve uma movimentação incomum nos últimos 30 dias do governo Temer. Além disso, o Lorenzoni anunciou uma série de medidas que já serão adotados pelos ministros. Segundo reportagem do G1, entre às ações, o ministro anunciou que o […]
| 03/01/2019
- 20:47
Governo afirma que houve movimentação incomum de recursos no fim da gestão Temer
Governo afirma que houve movimentação incomum de recursos no fim da gestão Temer
Antonio Cruz/Agência Brasil

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, anunciou nesta quinta-feira (3) após a primeira reunião ministerial que “houve uma movimentação incomum nos últimos 30 dias do governo Temer. Além disso, o Lorenzoni anunciou uma série de medidas que já serão adotados pelos ministros.

Segundo reportagem do G1, entre às ações, o ministro anunciou que o governo fará uma revisão em cada ministério das liberações de recursos e das exonerações realizadas nos últimos 30 dias de 2018.

“Houve uma movimentação incomum de exonerações e indicações nos últimos 30 dias, assim como também houve uma movimentação incomum de recursos destinados a ministérios também nos últimos 30 dias”, disse o Lorenzoni.

Ele ainda enfatizou que Indicados para cargos de 2º e 3º escalões serão técnicos em ‘sintonia’ com projeto do governo. O Ministro da pasta dará palavra final sobre nomeação.

Outras medidas

. Revisão e “pente-fino” em todos os conselhos que atuam junto à administração direta (orgãos do Executivo). Segundo Onyx, há muitos conselhos e em vários casos as atribuições se sobrepõem.

. Preenchimento dos cargos de segundo e terceiro escalões seguirão “critérios técnicos” e terão de respeitar “a afinação com o projeto que representamos”, segundo Onyx. Ele disse que o ministro da pasta é que dará a palavra final sobre a indicação após avaliar a “sintonia” do candidato com o projeto do governo.

. Reunir nas capitais as estruturas dos ministérios nos estados, a fim de se permitir a venda de imóveis federais. Será feito um censo dos imóveis para se “racionalizar” a estrutura. Onyx afirmou que a União tem cerca de 700 mil imóveis.

. Revisão de todos os contratos de locação da União. Segundo o ministro, é um “contrasenso absoluto” o governo ter 700 mil imóveis e ainda necessitar alugar.

Onyx anunciou as medidas em uma entrevista à imprensa concedida no Palácio do Planalto, após a reunião do Conselho de Governo, integrado por Bolsonaro, pelo vice Hamilton Mourão e pelos ministros de Estado.

O primeiro encontro do grupo teve a presença dos 21 ministros empossados e de Roberto Campos Neto, indicado por Bolsonaro para a presidência do Banco Central, cargo com status ministerial, mas que ainda exige aprovação de indicação pelo Senado.

Um novo encontro do conselho está agendado para a manhã da próxima terça-feira (8). Na oportunidade, segundo Onyx, os ministros deverão discutir com Bolsonaro as medidas a serem adotadas pelo governo nas primeiras semanas.

Veja também

Poucos cabos eleitorais fazem adesivagem nesta manhã na Avenida Afonso Pena, principal via de Campo Grande

Últimas notícias