Política

Crise econômica refletiu no recuo PIB agropecuário, diz ministra Tereza Cristina

A retração de 0,5% no PIB (Produto Interno Bruto) da Agropecuária no primeiro trimestre deste ano, deve-se a crise econômica que o Brasil enfrenta nos últimos anos, de acordo com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM). O IBGE divulgou ontem (30) os resultados do PIB, mostrando que o recuo na Agropecuária foi 0,5 %, […]

Renata Volpe Publicado em 31/05/2019, às 12h34 - Atualizado em 07/07/2020, às 21h30

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação) - (Foto: Divulgação)

A retração de 0,5% no PIB (Produto Interno Bruto) da Agropecuária no primeiro trimestre deste ano, deve-se a crise econômica que o Brasil enfrenta nos últimos anos, de acordo com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM).

O IBGE divulgou ontem (30) os resultados do PIB, mostrando que o recuo na Agropecuária foi 0,5 %, na Indústria, de 0,7%, e Serviços, aumento de 0,2 %.

De acordo com a ministra Tereza Cristina, o recuo é absolutamente normal. “O país vem de uma crise enorme, a safra já foi colhida, já foi negociada nesse trimestre”.

A ministra explicou que a expectativa para o próximo trimestre é de crescimento. “Tenho certeza que no próximo volta a crescer, temos um novo plano safra anunciado para junho”.

Mato Grosso do Sul responde por 30% do PIB, constituindo o motor da economia estadual. Questionada se essa queda afeta diretamente o Estado sul-mato-grossense, a ministra comentou que não tem uma tendência de queda. “Isso são indicadores, mas isso não se reflete numa tendência de baixa, o trimestre é pontual”.

A ministra da Agricultura comentou que o Brasil não vem crescendo e a reforma da Previdência, precisa acontecer. “As reformas precisam acontecer para que a economia possa ter confiança e os investimentos voltem ao país. Não tem tendência que continue em queda”.

Em contrapartida, o PIB da Pecuária cresceu. “Acho que vá continuar assim, com grandes exportações e tem uma expectativa que esses indicadores continuem crescendo”.

NÚMEROS

Em valores correntes, o PIB no primeiro trimestre totalizou R$ 90,234 bilhões da Agropecuária, tendo participação setorial de 5,3%. Em três dos quatro trimestres de 2018 a Agropecuária teve taxas negativas de crescimento. Como as taxas são comparativas, isso se deve, também aos resultados de 2017 que foram excepcionais, analisa José Garcia Gasques, coordenador-geral de Estudos Econômicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A Agropecuária vem acumulando desde 2018 trimestres com redução de crescimento.

Os destaques positivos neste ano têm sido o comportamento das exportações do agronegócio, o bom desempenho da safra de milho e da pecuária. Como contribuições negativas se destacam a redução em 10,6 % na produção de Arroz, (-4,4 %) da produção de Soja e de (-2,9) % na produção de Fumo.

Mato Grosso do Sul é o 5º maior produtor de grãos do País. No ranking do Agronegócio, o Estado detém ainda, a 4ª posição na produção de milho e 3ª no abate de gado. Polo mundial de celulose, produz 5,3 milhões de toneladas ao ano, dispõe de 1,056 milhão de hectares de florestas plantadas, 615 mil hectares de cana-de-açúcar e 18 milhões de hectares de pastagens.

Jornal Midiamax