Política

Com mandato tampão, deputados de MS por um mês gastaram R$ 83 mil no recesso

Os três deputados federais de Mato Grosso do Sul que assumiram mandato tampão em janeiro, durante o recesso, gastaram juntos R$ 83 mil da cota disponível para o exercício da atividade parlamentar, como passagens aéreas e conta de celular. O mandato relâmpago do trio terminou na quinta-feira (31). Segundo o portal da transparência da Câmara […]

Richelieu Pereira Publicado em 02/02/2019, às 16h10 - Atualizado às 16h28

Ex-deputados Coronel Bittencourt, Carla Stephanini e Junior Coringa. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/CMCG)
Ex-deputados Coronel Bittencourt, Carla Stephanini e Junior Coringa. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/CMCG) - Ex-deputados Coronel Bittencourt, Carla Stephanini e Junior Coringa. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/CMCG)
Com mandato tampão, deputados de MS por um mês gastaram R$ 83 mil no recesso
Ex-deputados Coronel Bittencourt, Carla Stephanini e Junior Coringa. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/CMCG)

Os três deputados federais de Mato Grosso do Sul que assumiram mandato tampão em janeiro, durante o recesso, gastaram juntos R$ 83 mil da cota disponível para o exercício da atividade parlamentar, como passagens aéreas e conta de celular. O mandato relâmpago do trio terminou na quinta-feira (31).

Segundo o portal da transparência da Câmara dos Deputados, Junior Coringa (PSD) foi o que teve o maior gasto, com R$ 39.219,23; seguido por Coronel Bittencourt (PRB), que usou R$ R$ 22.855,58; e Carla Stephanini (MDB), que declarou R$ 21.183,40.

Esses valores não levam em consideração a verba de gabinete que cada deputado tem de R$ 111.675,59 por mês para pagar salários de até 25 secretários parlamentares, que trabalham para o mandato em Brasília ou nos estados, com salários de R$ 1.025,12 a R$ 15.698,32. Nem o salário bruto de R$ 33.763,00 e penduricalhos que podem dobrar a remuneração.

A maior parcela da verba gasta pelos três ex-congressistas sul-mato-grossenses é referente a passagens aéreas e publicidade. Coringa gastou R$ 16.185,49 com passagens; enquanto Stephanini desembolsou R$ 10.164,47; e Bittencourt R$ 7.860,36. Este último gastou mais com divulgação da atividade parlamentar (R$ 12.000,00), mesmo valor usado pelo ex-vereador da Capital. A emedebista desembolsou R$ 8.000,00 para dar publicidade às suas ações.

Além destes, há gastos com alimentação, locação de veículos, combustíveis, serviços postais, consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos.

O trio passou por Brasília sem frequentar uma sessão sequer, já que o Congresso estava em recesso e voltou às atividades apenas no dia 1° de fevereiro. Com isso, também não puderam apresentar projetos de lei.

O Jornal Midiamax ouviu cada um deles ao tomarem posse. Basta clicar sobre o nome dos mesmos para saber quais foram os objetivos de cada um.

Jornal Midiamax