Política

André Puccinelli e Simone Tebet são nomes do MDB para prefeitura, diz deputado

Para o deputado estadual Renato Câmara (MDB) os dois nomes do partido para as eleições municipais de 2020, para a disputa da Prefeitura de Campo Grande, são do ex-governador André Púccinelli e da senadora Simone Tebet. De acordo com o parlamentar, a sigla deve fazer pesquisa para avaliar qual dos nomes seria mais viável para […]

Daiany Albuquerque Publicado em 08/05/2019, às 19h19 - Atualizado em 09/05/2019, às 13h51

Deputado estadual Renato Câmara (Foto: Luciana Nassar/ALMS)
Deputado estadual Renato Câmara (Foto: Luciana Nassar/ALMS) - Deputado estadual Renato Câmara (Foto: Luciana Nassar/ALMS)

Para o deputado estadual Renato Câmara (MDB) os dois nomes do partido para as eleições municipais de 2020, para a disputa da Prefeitura de Campo Grande, são do ex-governador André Púccinelli e da senadora Simone Tebet.

De acordo com o parlamentar, a sigla deve fazer pesquisa para avaliar qual dos nomes seria mais viável para a disputa municipal da Capital. “Simone é competitiva. Puccinelli pode até ser, mas tem que fazer essa avaliação, ele através de pesquisa analisar a potencialidade de cada um numa disputa”.

Ambos os nomes do partido já comandaram prefeituras ao longo de sua vida política. André foi prefeito de Campo Grande por 8 anos, de 1997 a 2004, já Simone comandou Três Lagoas por dois mandatos (2005-2010), porém não terminou os últimos quatro anos porque foi eleita vice-governadora.

Na visão do deputado, as candidaturas para o ano que vem devem “manter uma coerência” para que seja feito o que foi prometido durante os períodos de campanha.

“As pessoas estão muito ligadas e preocupadas com isso. Então, nesse momento a gente tem que ter a coerência também de entregar o prometemos na campanha de deputado, que é empenho, buscar soluções, debater, trazer as reivindicações para assembleia, fazer as audiências públicas, apresentar projeto de leis, fazer análise de alterações de legislações, fazer com que se cumpra a lei e ajustiça, mantenha-se a ordem e o equilíbrio do Estado”, declarou.

O deputado afirma que ainda não é momento para definir o “caminho” para as eleições de 2020. Segundo ele, o momento agora é de fazer discussões.

“Você não tem coligação se não tem projeto para apresentar que possa ser viável, apresentar soluções, alternativas e dentro dessa discussão também fazer a discussão interpartidária. Fazer partidariamente, com grupo de vereadores, lideranças, comunidade, e depois desse projeto maduro, discutir interpartidariamente para definir o caminho”, avalia.

Jornal Midiamax