Política

Um dia após condenação, PT confirma pré-candidatura de Lula à presidência

Executiva se reuniu em São Paulo nesta quinta-feira

Ludyney Moura Publicado em 25/01/2018, às 15h08

None

Executiva se reuniu em São Paulo nesta quinta-feira

A direção nacional do PT fez uma reunião da Executiva nesta quinta-feira (25), em São Paulo (SP), menos de 24h após a decisão do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) em Porto Alegre (RS) que aumentou a pena do ex-presidente Lula no caso do tríplex para 12 anos de prisão.

“Estamos lançando a pré-candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República”, afirmou a presidente do Partido dos Trabalhadores, a senadora Gleisi Hoffmann (PR), logo na abertura do encontro, que aconteceu na sede nacional da CUT (Central Única dos Trabalhadores).Um dia após condenação, PT confirma pré-candidatura de Lula à presidência

O ex-presidente foi recebido com festa pelos trabalhadores que lotaram as dependências do local. Diversas lideranças do partido, como a ex-presidente Dilma Rousseff, e os governadores petistas  Wellington Dias (PI), Rui Costa (BA), Fernando Pimentel (MG), Camilo Santana (CE) e Tião Viana (AC) compareceram à reunião da Executiva.

Um dos primeiros a falar no ato, o ex-ministro da justiça, Eugênio Aragão, frisou que a defesa de Lula vai entrar com embargos declaratórios junto ao TRF4, mas que já espera que eles sejam rejeitados, o que obrigaria os advogados do petista a tentar recursos em instâncias superiores, como STF (Supremo Tribunal Federal).

Os desembargadores do TRF4 condenaram o ex-presidente a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no processo conhecido como ‘caso tríplex’. A prisão só será efetuada após esgotarem todos os recursos na própria Corte.

A condenação pode atrapalhar os planos do PT de lançar Lula como candidato à presidência da República. Na reunião da Executiva o partido deve discutir outros nomes, caso o ex-presidente se torne inelegível. 

Jornal Midiamax