Política

TSE tem reunião com Google e Facebook para debater fake news e eleições

Empresas devem apresentar ações de combate a notícias falsas  

Richelieu Pereira Publicado em 31/01/2018, às 13h28

None

Empresas devem apresentar ações de combate a notícias falsas

Representantes das empresas Facebook, Google, Twitter e WhatsApp participam nesta quarta-feira (31) de reunião com ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para debater a influência das ‘fake news’ nas eleições de outubro deste ano. O encontro ocorre às 16h na sede do órgão e contará com a presença do Comitê Gestor da Internet.

As empresas apresentarão ações que estão sendo implementadas para combater notícias falsas que são disseminadas nas redes sociais. O presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, estará presente à reunião, e todos os demais ministros da Corte foram convidados.

O tema vem preocupando a corte eleitoral. Em outubro do ano passado, o TSE convocou o Ministério da Defesa e as Forças Armadas para monitorar redes sociais em busca de notícias falsas durante as eleições de 2018.

A parceria foi firmada pelo ministro Gilmar Mendes, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, e o ministro da Justiça, Torquato Jardim.

O ministro Luis Felipe Salomão, membro substituto do TSE, já afirmou que combater e conter a proliferação de notícias falsas na internet é um grande desafio do tribunal neste ano. TSE tem reunião com Google e Facebook para debater fake news e eleições

Mentira em inglês

​Passou-se chamar de fake news notícias sabidamente falsas. O termo ficou famoso durante as eleições presidenciais americanas de 2016, quando empresas começaram a disseminar informações falsas sobre a candidata democrata, Hillary Clinton, para favorecer o republicano Donald Trump, eleito presidente.

Gilmar também citou o caso francês, do site Macron Leaks, que divulgou boatos sobre o atual presidente do país, Emmanuel Macron, durante a campanha.

Jornal Midiamax