Política

Reinaldo reúne secretários para discutir metas e ‘tensão’ institucional

Primeiro escalão deverá planejar último ano de governo

Ludyney Moura Publicado em 16/02/2018, às 16h06

None

Primeiro escalão deverá planejar último ano de governo

A reunião do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) com o 1º escalão de seu governo, que aconteceu durante praticamente toda a manhã desta sexta-feira (16) tratou das metas de cada pasta para o último ano do atual mandato.

O secretário estadual de governo, Eduardo Riedel (PSDB), revelou que as secretarias cumpriram 75% das metas estipuladas no ano passado, e que os titulares de cada pasta terão duas semanas para apresentar um planejamento e objetivos traçados para 2018.Reinaldo reúne secretários para discutir metas e ‘tensão’ institucional

“Com toda dificuldade econômica e política do país, Mato Grosso do Sul têm dado exemplo de boa gestão, com investimento em todas as áreas, salários em dia e com aumento salarial”, declarou Carlos Alberto de Assis (PSDB), titular da SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização).

Os dois secretários destacaram que o governador solicitou que planejamento de todas as pastas, para evitar, por exemplo, o que aconteceu com o Festival América do Sul em 2017, que não aconteceu por falta de verba.

Tensão

Apesar dos secretários ouvidos pela reportagem frisarem que a pauta do encontro foi a discussão de metas para gestão, os tucanos reconheceram que o assunto eleição sempre aparece nas tratativas, haja vista a proximidade com o pleito de outubro.

Enquanto os tucanos não definem os principais nomes para disputa das eleições deste ano, Assis frisa que o “projeto maior” do PSDB é “reeleger o Reinaldo, caso ele vá para reeleição”.

Riedel reconhece que existe uma ‘tensão’ no ninho tucano, mas nega que isso interfira no governo ou na relação entre os integrantes do 1º escalão.

“É natural. Não é uma tensão pessoal, é uma discussão institucional. Não é problema de relacionamento. É natural na formulação de uma vaga”, argumentou o secretário de governo.

O titular da SAD disse que todos os secretários têm até o dia 6 de abril para definirem uma eventual saída do governo para disputa das eleições.

Jornal Midiamax