Política

PCdoB vê governo do Estado como ‘possibilidade remota’ e busca aliados

Partido diz conversar com PT, PV, PDT, PP e PSB

Joaquim Padilha Publicado em 19/03/2018, às 16h50

None

Partido diz conversar com PT, PV, PDT, PP e PSB

Após uma reunião da executiva estadual realizada neste domingo (18), em Campo Grande, o PCdoB segue sem definir se irá lançar um pré-candidato ao governo do Estado ou se irá permanecer sem candidatos e apoiar outras forças partidárias.

O presidente estadual da sigla, Mário Fonseca (PCdoB) evita antecipar nomes de possíveis candidatos ao governo, por considerar essa uma “possibilidade remota”. “Ainda não posso antecipar isso, porque essa possibilidade do governo é uma possibilidade um pouco mais remota”, afirma.

Por enquanto, Fonseca mantém para depois da janela partidária a definição dos rumos do partido. “Continua a mesma coisa por conta da janela partidária. Estamos conversando com muita gente para se filiar, gente com mais possibilidades e outros com menos”, diz.PCdoB vê governo do Estado como 'possibilidade remota' e busca aliados

Ele afirma que a sigla conversa com partidos como PV, PT, PP, PSB e PDT para formação de alianças. “Tudo num ambiente democrático. Nós podemos ter diferenças ideológicas, mas temos que trabalhar com a política do momento”, afirma Fonseca.

Fonseca diz que o partido mantém a oposição ao governo de Reinaldo Azambuja (PSDB), que afirma “ter sido uma das gestões que mais desestruturou o Estado de Mato Grosso do Sul, aprovando a reforma da Previdência antes mesmo de Temer”.

Jornal Midiamax