“Governo perdeu o controle”, diz Dagoberto sobre greve dos caminhoneiros

Paralisações chegam ao 4º dia e geram risco de desabastecimento
| 24/05/2018
- 12:21
Dagoberto Nogueira segue indicação nacional do PDT para apoiar a reeleição de Rodrigo Maia
Dagoberto Nogueira segue indicação nacional do PDT para apoiar a reeleição de Rodrigo Maia - Dagoberto Nogueira segue indicação nacional do PDT para apoiar a reeleição de Rodrigo Maia

A chega ao seu quarto dia consecutivo com bloqueios em diversos pontos de estradas federais em Mato Grosso do Sul e no país. Diante do risco de desabastecimento de cidades e serviços essenciais, o deputado federal (PDT) acredita que o governo de Michel Temer (MDB) perdeu o controle da situação.

“Esse é o desgoverno e a corrupção do Temer. É uma coisa que eles [governo] perderam o controle e o país está indo a bancarrota”, disparou Dagoberto ao Jornal Midiamax nesta quinta-feira (24). “Apesar de que a Dilma estava indo muito mal, mas as pessoas já estão com saudade dela”.

Para embasar sua opinião, o deputado federal comparou a variação de preços após dois anos de gestão emedebista. “A gasolina estava R$ 2,50 e hoje está quase R$ 5. O dólar estava quase R$ 2,60 e hoje está quase R$ 4. Só vai melhorar depois das eleições”, diz Dagoberto.

Neste quarto dia de manifestações, há registro de manifestações em pelo menos 20 estados e no DF nesta manhã, de acordo com o portal G1. Na terça-feira (23), a Petrobras anuncia redução de 10% no diesel durante 15 dias.

Neste momento, Temer está reunido com ministros para discutir o impasse em torno dos preços dos combustíveis. Ele convocou os ministros Eduardo Guardia (Fazenda), Moreira Franco (Minas e Energia), Valter Casemiro (Transportes, Portos e Aviação), o presidente da Petrobras, Pedro Parente, e o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

No entanto, para Dagoberto, só um novo governo vai conseguir contornar essa crise e as que estão por vir. “ Qualquer que seja o governo, não tem jeito de ser mais corrupto do que esse. Vai estancar muito a corrupção e o Brasil vai voltar a crescer, com geração de empregos. A partir do ano que vem, vamos ter um novo Brasil”, finaliza.

Veja também

Últimas notícias