Política

‘Não tenham medo, nós estaremos aqui’, diz Haddad após derrota

No palanque com a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), a vice Manuela D’Ávila, a esposa e o também candidato no primeiro turno Guilherme Boulos (Psol), o candidato Fernando Haddad (PT) falou por cerca de cinco minutos as mais de 45 milhões pessoas que votaram nele neste domingo (28) e garantiu que fará oposição ao governo. “Não […]

Evelin Cáceres Publicado em 28/10/2018, às 19h34 - Atualizado em 29/10/2018, às 18h09

None

No palanque com a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), a vice Manuela D’Ávila, a esposa e o também candidato no primeiro turno Guilherme Boulos (Psol), o candidato Fernando Haddad (PT) falou por cerca de cinco minutos as mais de 45 milhões pessoas que votaram nele neste domingo (28) e garantiu que fará oposição ao governo. “Não tenham medo, nós estaremos aqui”.

Professor por formação, Haddad iniciou o discurso agradecendo aos antepassados pela coragem para defender a Justiça. “Coragem é um valor muito grande quando se vive em sociedade. Quero agradecer os partidos todos que estiveram conosco, a militância aguerrida. Parte expressiva do povo brasileiro que precisa ser respeitada nesse momento. Essas 45 milhões de pessoas tem outro projeto de Brasil na cabeça e merece respeito”.

Para o candidato derrotado, os últimos dias foram significativos para a mudança de votos. “Muita gente que não é de partido político, de associação, fez a festa da democracia nas ruas do Brasil. Gente que saiu na rua com colegas e esposas, marido, filho, para panfletar o país inteiro. Colocar banco na praça, cartaz no pescoço e dialogar e reverter o quadro que se anunciava no segundo”.

Haddad reafirmou que Lula foi preso injustamente e teve o registro de candidatura cassado ‘mesmo após recomendação da Organização das Nações Unidas’ e que Dilma foi afastada da presidência.

“Seguimos de cabeça unida, com determinação e coragem para levar nossa mensagem aos rincões do país. Defenderemos a nação daqueles que, de forma desrespeitosa, pretendem usurpar nosso patrimônio. Nesse momento, temos a tarefa enorme que é em nome da democracia. Vamos defender o pensamento e as liberdades desses 45 milhões de brasileiros”, finalizou.

Jornal Midiamax