Política

‘Morosidade’ atrasa cronograma de reforma da Câmara, diz João Rocha

Previsto para ser finalizada em outubro, a reforma do prédio da Câmara Municipal de Campo Grande sofreu atraso no cronograma e deve demorar mais o que o programado. A informação é do presidente da Casa, vereador João Rocha (PSDB), que disse estar insatisfeito com o andamento das obras nos últimos dias. “Não gostei muito nesses […]

Richelieu Pereira Publicado em 09/08/2018, às 12h07 - Atualizado em 19/07/2020, às 20h10

None

‘Morosidade’ atrasa cronograma de reforma da Câmara, diz João Rocha

Previsto para ser finalizada em outubro, a reforma do prédio da Câmara Municipal de Campo Grande sofreu atraso no cronograma e deve demorar mais o que o programado. A informação é do presidente da Casa, vereador João Rocha (PSDB), que disse estar insatisfeito com o andamento das obras nos últimos dias.

“Não gostei muito nesses últimos 30 dias em que houve uma morosidade. Já acionamos os responsáveis pela empresa para que retomem a celeridade. Nós estamos cumprindo com toda nossa parte”, relatou Rocha ao fim da sessão desta quinta-feira (9).

O chefe do Legislativo diz que vai cobrar da empreiteira responsável, a Age Comercial Ltda, o cumprimento do cronograma, embora, reconheça que alterações no projeto original possam justificar ajustes no planejamento.

“Houveram algumas intervenções que não estavam previstas inicialmente, uma vez que é um prédio antigo”, ponderou João Rocha. “Dentro do cronograma está havendo um atraso. A previsão era para outubro e creio que não haverá a possibilidade de fazer a conclusão até outubro”.

O presidente da Casa evita fazer uma estimativa com um novo prazo para a conclusão das melhorias, pois aguarda conversa com a empresa responsável. No entanto, espera que tudo esteja pronto até o fim do ano.

Concurso

A reforma do prédio da Câmara impacta diretamente na convocação dos 70 aprovados no concurso público promovido pelo Legislativo. O certame foi concluído em março deste ano, mas os primeiros quatro convocados foram chamados no início deste mês.

Uma das justificadas para o chamamento de todos é falta de espaço físico para comportar os novos servidores, ocasionado pelas obras. Questionado sobre as próximas convocações, João Rocha manteve a promessa de concluir o processo até o fim do ano, sem fazer previsões de quantos e quando haverá a próxima convocação.

Jornal Midiamax