Política

Moro foi ‘insubordinado’ ao negar soltura de Lula durante férias, afirma Vander

Petista acredita que Judiciário tem objetivo de tirar Lula das eleições

Joaquim Padilha Publicado em 09/07/2018, às 10h47 - Atualizado às 11h00

None

O deputado federal Vander Loubet (PT) se pronunciou nesta segunda-feira (9) sobre a tentativa do PT de soltar o ex-presidente Lula. Para o petista sul mato-grossense, há um objetivo do Judiciário em barrar a participação de Lula nas eleições.

“Foi muito grave o que vimos”, diz Vander. “Ficou clara mais uma vez que existe parcialidade em certas decisões e que há uma perseguição contra Lula com o único objetivo de tentar tirá-lo das eleições”.

“Tivemos o Moro, um juiz de primeira instância, mais uma vez agindo de forma insubordinada em relação à decisão de segunda instância de um desembargador, e se articulando com outros setores do Judiciário para barrar o alvará de soltura do Lula, mesmo ele estando de férias em Portugal”, afirmou o deputado.

“Várias instâncias de poder se mobilizaram em pleno domingo para protelar a soltura do Lula até que houvesse uma decisão em contrário”, disse Vander. “Li hoje na imprensa nacional a avaliação de que o Judiciário sangrou em praça pública”.

Neste domingo (8), o desembargador Rogério Favreto assinou três decisões favoráveis ao habeas corpus e soltura imediata do ex-presidente Lula. Apesar das decisões, o presidente do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) determinou que o petista permanece preso.

Para Vander, o episódio serviu para escancarar a “perseguição” que Lula sofre. “Apesar de não termos conseguido a libertação de Lula, ficou mais uma vez escancarada a engrenagem do golpe que se instalou no Brasil desde o impeachment da Dilma”, disse.

Jornal Midiamax