Médica presa na Lama Asfáltica pede liberdade para trabalhar e juiz nega

Uma das presas em casa da Operação Lama Asfáltica após determinação o STF (Supremo Tribunal Federal), Mariane Mariano teve o pedido para atender pacientes negado pelo juiz Bruno Cézar da Cunha Teixeira, da 3 Vara Federal de Campo Grande. A médica alegou que atende a mais de 100 pacientes por duas redes de saúde e […]
| 28/05/2018
- 14:22
Médica presa na Lama Asfáltica pede liberdade para trabalhar e juiz nega

Uma das presas em casa da após determinação o STF (Supremo Tribunal Federal), Mariane Mariano teve o pedido para atender pacientes negado pelo juiz Bruno Cézar da Cunha Teixeira, da 3 Vara Federal de Campo Grande.

A médica alegou que atende a mais de 100 pacientes por duas redes de saúde e que precisa trabalhar para manter o sustento da família, mas o MPF (Ministério Público Federal) deu parecer contrário à liberdade, alegando que Mariane somente conseguiu prisão domiciliar por estar amamentando.

“Este juízo converteu a preventiva em domiciliar, em razão da peticionária possuir um filho em fase de amamentação. Pela extensa jornada de trabalho desenvolvida pela requerente em detrimento do fundamento legal da prisão domiciliar, que é prioridade constitucional absoluta da criança, seria o caso de reestabelecer o encarceramento”.

Para o juiz, o pedido revogaria a prisão de Mariane e, portanto, foi negado. A defesa de João Alberto Krampe Amorim dos Santos e Elza Cristina Araújo dos Santos, sócios na Proteco Construções, pediu também na semana passada habeas corpus ao ministro Dias Toffoli, que negou o pedido.

Em decisão do dia 8 de maio, o ministro Alexandre de Moraes determinou a volta de Ana Paula Amorim Dolzan, Wilson Mariano, Mariane Mariano de Oliveira, Flávio Scrocchio, Rachel Giroto e Elza Cristina Araujo dos Santos, Edson Giroto e João Alberto Amorim à cadeia. Todos tiveram prisão temporária decretada em 10 de maio de 2016. As mulheres, que são mães, conseguiram prisões domiciliares.

Veja também

Revirando-se no caixão Vereador aproveitou uso da palavra para alfinetar adversário. “Louvado seja Deus que...

Últimas notícias