Política

‘Falta vontade política’, reclama Reinaldo sobre blindagem de fronteiras em MS

Datafolha aponta que 62% apoiam o fechamento

Evelin Cáceres Publicado em 21/03/2018, às 13h29

None

Datafolha aponta que 62% apoiam o fechamento

‘Falta vontade política [do governo federal]. A mesma que houve para realizar a intervenção no Rio de Janeiro. Não adianta ficar fazendo reunião e não resolver a questão’, disse o governador de Mato Grosso do Sul nesta quarta-feira (21) ao comentar a pesquisa Datafolha, que apontou que 62% dos entrevistados são a favor do fechamento das fronteiras do Brasil com o Paraguai e a Bolívia, rota do tráfico de drogas.

Reinaldo destacou que desde 2015 tem tratado sobre a blindagem da fronteira. “Essa pesquisa só revela o que a população pensa há muito tempo. É uma pauta nacional importante assim como a intervenção militar no Rio de Janeiro. Mas é importante frisar que o que acontece lá são as consequências de não blindar as fronteiras aqui”.

Durante o anúncio de repasses a municípios, o governador também cobrou publicamente as promessas do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann (PPS-PR), sobre a instalação de um núcleo de inteligência e aumento dos efetivos da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e da Força Nacional nessas regiões.

“Hoje quem faz a segurança da fronteira é a polícia estadual”, criticou.

Datafolha

Pesquisa realizada pelo instituto Datafolha revela que 62% dos entrevistados apoia a tese do fechamento das fronteiras entre Brasil e Paraguai para combater o contrabando de cigarros oriundo daquele país.

A pesquisa, realizada entre 5 a 8 de fevereiro com 2081 pessoas, revela ainda que 86% dos entrevistados não votariam em um candidato a presidente que se recusasse o combater o contrabando e que 38% defendem que o presidente eleito no Brasil anuncie o rompimento das relações comerciais com o Paraguai.

Os entrevistados relacionam a violência e insegurança no Brasil com o contrabando paraguaio: 86% concordam com a tese de que os cigarros contrabandeados incentivam o crime organizado e o tráfico de drogas e armas – dois dos principais problemas enfrentados no Rio de Janeiro, estado sob intervenção federal em função da onda de violência dos últimos meses.

A pesquisa mostra que a população brasileira reconhece a necessidade de medidas drásticas com o Paraguai, pois avalia que é de lá que chegam as armas e drogas que estão matando nas cidades brasileiras.

Jornal Midiamax