Política

Em 4 meses, MP-MS paga R$ 938 mil em diárias; 282 mil só por eventos

Enquanto ordenadores de despesas de todo país recomendam economia de gastos, medida que pode atenuar os efeitos da crise financeira, que deixou a maior parte dos Estados no vermelho, repartições públicas ignoram o alerta e ‘esbanjam’ recursos públicos, especialmente com pagamento de diárias. A verba é destinada a servidores públicos pelos dias trabalhados fora dos […]

Maisse Cunha Publicado em 19/10/2018, às 12h22 - Atualizado em 01/04/2019, às 12h48

(Foto: arquivo/Midiamax)
(Foto: arquivo/Midiamax) - (Foto: arquivo/Midiamax)

Enquanto ordenadores de despesas de todo país recomendam economia de gastos, medida que pode atenuar os efeitos da crise financeira, que deixou a maior parte dos Estados no vermelho, repartições públicas ignoram o alerta e ‘esbanjam’ recursos públicos, especialmente com pagamento de diárias.

A verba é destinada a servidores públicos pelos dias trabalhados fora dos municípios onde atuam e cobre viagens feitas de avião, carros oficiais e ônibus. Em apenas 4 meses, por exemplo, o MP-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) gastou R$ 938 mil com esse tipo de pagamento.

Deste montante, pelo menos R$ 282 mil foram usados para bancar viagem e participação de membros e servidores em eventos, não só no interior do Estado, como em demais cidades brasileiras.

Só no mês de setembro, conforme relatório divulgado no Diário Oficial desta sexta-feira (19), o órgão estadual pagou R$ 306.691,79 em diárias. Acontece que 41% desse valor, aproximadamente 137 mil, custeou viagens e participação de servidores em congressos, palestras, workshops e cursos.

A própria votação da composição da lista tríplice que renovou a gestão do procurador de Justiça, Paulo Cesar dos Passos pelo biênio 2018/2020, custou ao órgão mais de 81 salários mínimos, com o deslocamento dos membros que participaram da escolha, em Campo Grande.

Em agosto, as diárias totalizaram R$ 242 mil, mas só os eventos custaram pelo menos R$ 59 mil ao caixa do órgão que ajuda a fiscalizar o uso do dinheiro que entra e sai dos caixas das prefeituras e Governo Estadual.

Em junho, as diárias custaram R$ 139 mil, mas R$ 46 mil foram usados para bancar a participação dos servidores em eventos. No mês anterior, os pagamentos totalizaram R$ 251 mil, mas os eventos ao menos R$ 39 mil.

Jornal Midiamax