Política

De colete à prova de balas, Bolsonaro participa de culto com 4 mil pessoas no RJ

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), participou na manhã deste domingo (4) de um culto na Igreja Batista Atitude, no Recreio, zona oeste do Rio de Janeiro. O militar da reserva estava acompanhado da mulher Michele, no evento com presença de cerca de 4 mil pessoas. Bolsonaro deixou sua residência, na Barra da Tijuca, pouco […]

Richelieu Pereira Publicado em 04/11/2018, às 15h19 - Atualizado às 15h20

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) participa de culto ao lado da esposa, Michelle Bolsonaro, no Rio de Janeiro. (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) participa de culto ao lado da esposa, Michelle Bolsonaro, no Rio de Janeiro. (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil) - O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) participa de culto ao lado da esposa, Michelle Bolsonaro, no Rio de Janeiro. (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
De colete à prova de balas, Bolsonaro participa de culto com 4 mil pessoas no RJ
O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) participa de culto ao lado da esposa, Michelle Bolsonaro, no Rio de Janeiro. (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), participou na manhã deste domingo (4) de um culto na Igreja Batista Atitude, no Recreio, zona oeste do Rio de Janeiro. O militar da reserva estava acompanhado da mulher Michele, no evento com presença de cerca de 4 mil pessoas.

Bolsonaro deixou sua residência, na Barra da Tijuca, pouco antes das 11h e seguiu em um comboio com escolta de policiais federais e de batedores da Polícia Militar. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o presidente eleito vestia um colete à prova de balas.

Ao sair do condomínio onde mora, na Avenida Lúcio Costa, Bolsonaro foi aplaudido e ovacionado com gritos de pessoas que o chamavam de mito.

“Há quatro anos, decidi disputar a Presidência, sem recurso, sem partido, sem tempo de televisão, com grande parte da mídia contrária as nossas propostas. Mas, se isso tudo isso aconteceu no último domingo, só tem uma explicação. Foi Deus que decidiu. Nenhum cientista político conseguiu explicar o velho garoto que tinha apelido de palmito ter chegado onde chegou”, discursou Bolsonaro.

Presidente de todos

Jair Bolsonaro acrescentou que a possibilidade de sua vitória não foi identificada na campanha. “Nenhum cientista político conseguiu fazer explicar que aquele velho garoto que tinha o apelido de palmito teria chegado onde chegou”.

O presidente eleito agradeceu a maioria dos presentes pelo apoio, a consideração, as orações e a confiança que recebeu. Concordando com o pastor Josué Valandro Jr, afirmou que, a partir de janeiro, será o presidente de todos no Brasil.

“Queremos sim, e, usando agora meu lado militar, seguir os passos de Caxias, o Pacificador. Mas, com a alma livre, tendo Deus acima tudo, buscarmos atender a todos que necessitam. Tenho certeza que, dessa forma, atingiremos o objetivo que não é meu, mas de todos nós”.

Bolsonaro voltou a citar o salmo “ E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” e foi aplaudido. “Muito obrigado a todos e que as orações continuem. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”, concluiu.

Depois da mensagem no palco do salão de orações, o presidente eleito e a mulher Michele voltaram para uma cadeira na plateia, de onde acompanharam a mensagem do pastor que está à frente da Igreja há 15 anos.

*Com Agência Brasil

Jornal Midiamax