Política

‘Com projeto em comum é válida’, diz Miglioli sobre aliança PSDB e MDB

Novos e antigos integrantes do PSDB comentaram o assunto

Aliny Mary Dias Publicado em 07/05/2018, às 15h52

Ex-candidato do governador Reinaldo Azambuja é aposta do Solidariedade para Campo Grande. (Arquivo)
Ex-candidato do governador Reinaldo Azambuja é aposta do Solidariedade para Campo Grande. (Arquivo) - Ex-candidato do governador Reinaldo Azambuja é aposta do Solidariedade para Campo Grande. (Arquivo)

Muito falada nos bastidores, mas ainda longe de uma definição, a aliança PSDB e MDB, legendas tradicionalmente rivais no Estado, é assunto entre figuras antigas e novatos no partido tucano.

Durante agenda pública do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) na tarde desta segunda-feira (7), companheiros de partido que seguiram o governador falaram sobre o assunto.

Ex-secretário de Obras do Estado e atualmente pré-candidato ao Senado da República, Marcelo Miglioli (PSDB) afirmou que se o projeto das duas legendas for o mesmo, aliança é válida e possível

“Aliança desde que tenha projeto comum é válida, faz parte da política as alianças. É a arte de somar, a partir do momento que tenha projeto em comum como é o caso hoje do Governo do Estado e do município de Campo Grande. Tem que ter projeto e ideal comuns”, disse.

O pré-candidato, no entanto, afirmou que o assunto tem sido tocado pelo presidente do partido, deputado Beto Pereira (PSDB). Mais cedo, Beto afirmou que o diálogo com integrantes do MDB está sempre “aberto”.

Outro que falou sobre a aliança em evento desta tarde foi o recém-chegado ao ninho tucano, Paulo Corrêa (PSDB). O político afirmou que a aliança “é possível até porque o MDB participou do Governo, até então, na base de sustentação [na Assembleia]”.

Corrêa ressaltou, no entanto, que caso a aliança se confirmar, o MDB deverá respeitar o “projeto moderno” de Reinaldo a frente do Governo.

Jornal Midiamax