Política

‘Vergonha não me permite abandonar companheiros feridos’, diz Marun

Puccinelli agradeceu manifestações de apoio

Midiamax Publicado em 15/11/2017, às 14h11

None

Puccinelli agradeceu manifestações de apoio

O deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) se antecipou a eventuais críticas e se defendeu após ter ido visitar o ex-governador André Puccinelli, preso desde terça-feira (14). “A vergonha que tenho na cara não me permite abandonar companheiros feridos”, escreveu o líder do PMDB na Câmara dos Deputados.

Em uma nota divulgada nesta quarta-feira (15), Marun disse ainda ser chocante “ver um homem que tanto fez por Mato Grosso do Sul” nessa situação.

Ainda de acordo com o documento, Puccinelli “agradeceu as inúmeras manifestações de solidariedade que está recebendo, especialmente via redes sociais”, mas está indignado com a prisão.

Confira a nota de Marun na íntegra:

“NOTA

Visitei pela manhã o ex-governador André Puccinelli. Sei que serei criticado, ofendido e até ridicularizado por esquerdopatas e imbecis de toda a ordem. Mas eu sou assim. A vergonha que tenho na cara não me permite abandonar companheiros feridos. E além disto, eu entro e saio de presídios a hora que eu quiser. Ele está dividindo espaço com outros 18 presos. É chocante ver um homem que tanto fez pelo MS nesta situação. Todavia, ele está sendo tratado com respeito e não faz reparos quanto a isto. Agradeceu as inúmeras manifestações de solidariedade que está recebendo, especialmente via redes sociais. Mantem-se indignado com a prisão, haja visto que não foi sequer denunciado até hoje. Destaco que a simples palavra de um delator nada significa. Ou ela vem acompanhada de provas ou cabe a polícia obtê-las. Da minha parte estou convicto de que não estão presentes os requisitos que autorizam a prisão preventiva e espero para os próximos dias sua soltura para que ele possa se defender em liberdade.

CARLOS MARUN

15/11/17”

Jornal Midiamax