Política

Vereador do PSDB confirma sondagem para assumir Secretaria de Educação

Idenor Machado diz que avalia pré-convite

Midiamax Publicado em 07/03/2017, às 13h42 - Atualizado em 18/07/2020, às 00h38

None
vereadores_e_prefeita_eleita.jpg

Idenor Machado diz que avalia pré-convite

O vereador Idenor Machado (PSDB) confirmou ter sido sondado pela equipe da prefeita Délia Razuk (PR) para uma eventual composição do secretariado municipal em Dourados, a 228 quilômetros de Campo Grande. Ao Jornal Midiamax, o experiente parlamentar disse que ainda avalia a possibilidade de voltar ao cargo de secretário de Educação, que já ocupou por 12 anos em três gestões diferentes na década de 1990.

“Recebi um mensageiro fazendo uma pré-sondagem, convite oficial não recebi”, declarou nesta manhã. “Existe uma sondagem, pessoal procurando, também não dei resposta se sim ou se não. É um pré-convite. Foi feito por pessoas ligadas à prefeita”, detalhou.

Atualmente, a Secretaria Municipal de Educação é comandada pela empresária Audrey da Silva Milan Conti.

EXPERIÊNCIA

Aos 66 anos, Idenor Machado é um dos mais experientes vereadores da atual legislatura. Foi presidente da Câmara de Dourados nos seis anos recentes. Também ocupou o posto de titular da Secretaria Municipal de Educação de 1989 a 2000, nas gestões de Antônio Braz Genelhu Melo (de 1989 a 1992 e de 1997 a 2000) e de Humberto Teixeira (de 1993 a 1996).

Antes disso, ele já havia sido Secretário de Estado de Educação em Mato Grosso do Sul por 18 meses, no final da gestão do ex-governador Wilson Barbosa Martins, inclusive no período em que Ramez Tebet assumiu o Executivo estadual durante o afastamento do titular, que concorria ao Senado Federal, em 1986.

COMPROMISSO POLÍTICO

Agora, porém, diante da sondagem feita pela equipe da prefeita Délia Razuk, o experiente vereador diz ser necessário avaliar aspectos políticos. Filiado ao PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), Idenor Machado apoiou para a Prefeitura de Dourados o também tucano Geraldo Resende nas eleições municipais de 2016.

“Nem descarto e nem assumo. Um convite desse numa hora dessas tem que pensar, tem que ser feita uma avaliação de compromisso partidário, político, tem que avaliar tudo. Sou filiado a um partido, tenho que saber se o partido concorda ou não”, ponderou.

PRESIDÊNCIA DISPUTADA

No final de 2010, após o desmantelamento de quase toda estrutura governamental no município com a Operação Uragano, deflagrada pela PF (Polícia Federal) no dia 1º de setembro daquele ano para combater um suposto esquema de desvio de dinheiro público e pagamentos de propinas, Idenor Machado foi nomeado secretário municipal de Educação pelo juiz interventor Eduardo Machado Rocha, designado à ocasião para comandar o Executivo.

Ele só deixou a pasta depois que Délia Razuk (filiada ao PMDB na época), então presidente da Câmara, assumiu a prefeitura no mandato interino até a realização das eleições extemporâneas que deram o cargo de prefeito para Murilo Zauith (à época no DEM, hoje no PSB).

Com a volta da normalidade administrativa, Idenor, à época no DEM e suplente do ex-chefe do Legislativo Sidlei Alves – que renunciou após ser preso pela PF – e Délia, protagonizaram uma intensa disputa pela chefia do Legislativo, que chegou a passar por instâncias judiciárias até culminar na posse do democrata, hoje tucano. 

Jornal Midiamax