Política

Três de sete ex-vereadores não reeleitos ganham cargos comissionados

Dois foram nomeados na Câmara e um na Prefeitura de Dourados

Midiamax Publicado em 04/02/2017, às 11h33 - Atualizado em 18/07/2020, às 00h37

None
mauricio_ok.jpg

Dois foram nomeados na Câmara e um na Prefeitura de Dourados

Três dos sete vereadores da legislatura passada que não conseguiram a reeleição no dia 2 de outubro de 2016 foram nomeados em cargos de confiança em Dourados, município distante 228 quilômetros de Campo Grande. Dirceu Longhi (PT) e Raphael Matos (PMDB) já haviam recebido novas funções na própria Câmara Municipal. Agora foi a vez de Maurício Lemes (PSB), nomeado assessor especial na prefeitura.

Decreto publicado em edição suplementar do Diário Oficial do Município na tarde de sexta-feira (3), assinado pela prefeita Délia Razuk (PR), informa que Mauricio Roberto Lemes Soaresocupa, desde o dia 1º de fevereiro, o cargo de Assessor Especial II DGA-2 SEMDES, na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico Sustentável, comandada por Rose Ane Vieira.

Conforme dados disponíveis no Portal da Transparência da Prefeitura de Dourados, existem 18 vagas para Assessor Especial II, com salário bruto de R$ 4.863,97.

Filiado à mesma sigla do ex-prefeito Murilo Zauith, o PSB (Partido Socialista Brasileiro), Maurício Lemes obteve 1.927 votos nas eleições municipais do ano passado. Com esse resultado, ele ficou na suplência da coligação Compromisso de Verdade I, grupo de apoio ao deputado federal Geraldo Resende (PSDB) na disputa para prefeitura, que teve o também socialista Rogerio Yuri Farias Kintschev como vice.

Durante a legislatura passada, ele chegou a ser suspenso por 20 dias das atividades parlamentares após ter sido acusado pela também vereadora Virgínia Magrini (PP) de ter lhe apalpado as nádegas durante uma pose para fotos em sessão solene. O caso gerou um Boletim de Ocorrência por importunação ofensiva ao pudor na Delegacia de Atendimento à Mulher e resultou na punição estabelecida pela Comissão de Ética e Decoro Parlamentar do Legislativo. No entanto, Maurício sempre negou que tenha assediado a colega.

NA CÂMARA

Outros ex-vereadores que não conseguiram a reeleição também já haviam ganhado cargos de confiança na administração municipal. Na edição de quinta-feira (2) do Diário Oficial do Município, portaria assinada pela vereadora Daniela Hall (PSD), chefe do Legislativo, nomeou Raphael da Silva Matos (PMDB) Controlador Interno da Casa de Leis.

Eleito vereador pela primeira vez nas eleições municipais de 2012, quando obteve expressivos 1.671 votos pelo PTB, Raphael Matos não conseguiu voltar ao cargo no pleito de 2 de outubro de 2016, quando foi votado por 661 eleitores. Na condição de controlador interno da Câmara terá vencimento bruto de R$ 3.894,27, conforme o Portal da Transparência da Casa de Leis.

Dias antes, em 27 de janeiro, o Diário Oficial do Município comunicou a nomeação, válida desde o dia 3 do mês passado, de Dirceu Aparecido Longhi (PT) para o cargo de assessor de gabinete da presidência da Câmara, com vencimento bruto de R$ 6.133,57.

Presidente do Diretório Municipal do partido dos Trabalhadores em Dourados, o ex-vereador tenta na 43ª Zona Eleitoral voltar ao cargo no parlamento, através de um pedido de investigação judicial contra o legislador Jânio Colman Miguel (PR), eleito com 2.319 votos na eleição de outubro passado e que chegou a ser alvo de operação contra compra de votos. Ele nega irregularidades e até hoje as investigações não foram concluídas, já que perícias encomendadas à PF (Polícia Federal) não foram entregues ao juiz do caso.

Jornal Midiamax