Política

Senador comete gafe em rádio e cita travesti morta para negar homofobia

Magno Malta criticou decreto regulamentando punição à homofobia

Joaquim Padilha Publicado em 03/07/2017, às 12h51

None

Magno Malta criticou decreto regulamentando punição à homofobia

O senador Magno Malta (PR) cometeu uma gafe neste domingo (2) ao dar entrevista para uma rádio do Espírito Santo. O parlamentar disse que a vice-presidência do seu partido é exercida por “um travesti chamado Moa”.

Acontece que a travesti Moa, ex-vereadora do município de Nova Venécia, Espírito Santo, morreu em maio deste ano. Sua morte chegou a ser lamentada em vídeo publicado nas redes sociais pelo próprio senador.

A assessoria do senador afirmou que o cargo de vice-presidente do PR no Espírito Santo segue vago, mas que “Moa está bem vivo na memória e no coração de Magno”.

Na rádio, Malta deu depoimento criticando um decreto do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), para regulamentar a punição da homofobia. O senador citou a ex-vereadora e ex-vice de seu partido para dizer que, apesar de defender a “família tradicional”, não seria homofóbico.Senador comete gafe em rádio e cita travesti morta para negar homofobia

Moa foi vereadora desde 2004 no município de Nova Venécio, e foi a primeira mulher transexual a dirigir uma Câmara de Vereadores no Brasil. Ela faleceu no dia 6 de maio, vítima de uma pneumonia grave que levou à falência múltipla dos órgãos

Jornal Midiamax